Acusado de assassinar pai e filho no Caiobá por causa de lixo disse que matou após ser insultado - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Acusado de assassinar pai e filho no Caiobá por causa de lixo disse que matou após ser insultado

O idoso Ângelo de 61 anos, preso no último dia 29, em Sidrolândia – a 70 quilômetros de Campo Grande – disse durante depoimento ter matado a tiros Bruno Pierre Figueiredo de 22 anos, e Carlos Mendes Figueiredo, de 42 anos, depois de ter sido insultado pelo rapaz. Os assassinatos aconteceram no Portal Caiobá, em Campo Grande.
Segundo o delegado Giuliano Biaccio, o idoso teria inocentado o irmão da participação no crime afirmando que teria agido sozinho. No dia do crime, teria efetuado os tiros contra pai e filho depois de ser insultado. Ainda segundo o acusado, ele só se lembra de um tiro, e diz não lembrar dos outros seis disparados.
O irmão de Ângelo ainda não foi encontrado pela polícia.

Motivação e crime

O fogo em um amontado de lixo, no Portal Caiobá, seria o motivo para o assassinato de pai e filho. Carlos foi atingido por quatro disparos sendo um no pescoço, clavícula, costas e um tiro na testa. Antes do tiro na testa de Carlos, o homem teria dito “Você ainda não morreu”, dando um tiro de ‘confere’.
Já Bruno foi assassinado com três tiros, sendo dois na coxa e um no pescoço. 11 munições intactas foram encontradas no local.
Testemunhas e vizinhos informaram que pai e filho eram pessoas trabalhadoras.

Casa incendiada

Após no assassinato de pai e filho, moradores do Portal Caiobá revoltados com o crime colocaram fogo na casa dos suspeitos do assassinato. O incêndio começou logo após o crime e parte da casa ficou destruída.
Um casal que passava na rua abaixo a do crime, foi parado por dois dos suspeitos, que tentaram roubar a motocicleta para fugirem. Uma pistola chegou a ser apontada para a cabeça do rapaz de 23 anos. Segundo o atendente de conveniência um dos homens chegou a dizer para ele, “acabamos de matar dois”.
A mulher do rapaz, a cabeleireira de 20 anos, contou que ficou muito nervosa com a situação e foi derrubada da motocicleta pelos suspeitos, que desistiram de levar o veículo fugindo em meio a um matagal. Os suspeitos teriam fugido em carro de cor prata.