Após anos, Aquário perdeu título para China e terá gasto extra com acrílico - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Após anos, Aquário perdeu título para China e terá gasto extra com acrílico

A gigante elipse do Aquário do Pantanal segue com números superlativos, como 21 mil metros quadrados de área construída, 32 tanques e 5,4 milhões de litros de água, e custo estimado de mais de R$ 200 milhões. Porém, já não tem mais a maior cúpula de acrílico do mundo.
De acordo com Vladimir Crespi, da empresa americana Reynolds Polymer Technology, a maior cúpula em aquário fica, atualmente, na China, com nove metros. A do Aquário do Pantanal, que promete levar o visitante para dentro de um rio, tem seis metros. À época da construção, era a maior do mundo.
Ao todo, o Aquário do Pantanal terá 32 tanques. Os acrílicos estão em perfeito estado, mas, caso a obra fosse terminada, os materiais teriam passado por polimento e entregues com garantia de dez anos.
Com a paralisia da construção, deverá ser aberta licitação para “finalizar” os acrílicos, que exibem muitas marcas de sujeira. Um descuido foi não ter retirado o filme protetor em tempohábil, que grudou e agora precisa de um produto específico para ser retirado sem danificar o acrílico. O polimento do material, o mais transparente que existe no mundo, está no pacote de cinco licitações, cujo primeiro edital será lançado até setembro pelo governo.
'Coração' do Aquário - Segundo o engenheiro mecânico Saulo Siqueira, considerando o tempo que a obra está parada, o 'pavimento técnico' precisará passar por algumas manutenções. Nesta parte do prédio, será feita a filtragem química, física e biológica da água dos aquários.O Aquário do Pantanal terá 5,4 milhões de litros de água e, cada tanque, terá o líquido filtrado a cada hora. Para simplificar a visualização, basta imaginar que os equipamentos de filtragem estarão embaixo de onde o visitante passará para ver os aquários.
São 178 bombas de águas, das quais 30 foram testadas, e o engenheiro mecânico considera que os equipamentos estão em "bom estado", mesmo com o período de paralisação da obra.
O Governo de Mato Grosso do Sul não quis dizer valores gastos, nem quanto será necessário para a conclusão. Até o ano passado, o Estado calculava desembolso de R$ 38 milhões para finalmente terminar a construção. A estimativa é de que, desde 2011, quando a obra começou, os custos superem R$ 200 milhões.