Grupo quer impedir fechamento de Fórum aberto há quatro meses - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Grupo quer impedir fechamento de Fórum aberto há quatro meses

Uma mobilização de autoridades e políticos tenta impedir o fechamento do Fórum de Coronel Sapucaia, cidade que fica a 400 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. O TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) tinha a intenção de fechar a comarca por falta de segurança no local.
Deputados Paulo Corrêa (PSDB), Pedro Kemp (PT), Carlos Alberto David (PSL), José Carlos Barbosa (DEM), Londres Machado (PSD) e Eduardo Rocha (MDB), assim como o prefeito da cidade, Rudi Paetzold (MDB), pediram ao presidente do TJ-MS, o desembargador Paschoal Carmello Leandro que voltasse atrás da decisão.
Com uma população de 15 mil pessoas, Coronel Sapucaia recebeu o novo Fórum no dia 17 de janeiro, tendo a partir disto, uma média de 38 processos por mês, e um total de 3 mil processos nestes quatro meses de atividade, já que muitas ações que estavam na comarca de Amambai, foram repassadas para o município.
A justificativa do Tribunal para fechar o local está relacionada a falta de segurança na cidade, já que no mês passado, um grupo armado com fuzis e escopetas assaltou uma agência bancária. No entanto depois desta mobilização, o presidente do Tribunal resolveu postergar, pelo menos por mais um mês, o funcionamento da unidade.
“Nossa decisão de desativar a comarca, pelo menos temporariamente, é justamente em razão da falta de segurança. É uma fronteira bastante perigosa e nós precisamos a compreensão de nossas autoridades para garantir segurança aos funcionários”, explicou o desembargador.
Adiado - O presidente da Assembleia, Paulo Corrêa (PSDB), ressaltou que o grupo conseguiu ao menos adiar o fechamento da unidade para o mês de junho. A intenção é durante este período levar a situação para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), para que se busque uma solução.
Outra alternativa é acionar os senadores de Mato Grosso do Sul, para que junto ao Ministério da Justiça, possam melhorar a segurança na região de fronteira. Para o prefeito da cidade houve um “avanço significativo” no assunto, já que a população estava preocupada com o fechamento do Fórum.