Direção do MDB prepara filiações no interior e convenção na Capital - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Direção do MDB prepara filiações no interior e convenção na Capital



De olho nas eleições de 2020, a direção do MDB prepara filiações no interior do Estado, nas cidades de Três Lagoas e Dourados, além de convenção municipal em Campo Grande, para definir diretório e mobilizar as lideranças para o pleito do ano que vem, com a formação das chapas (vereadores) e definição do candidato a prefeito.
Amanhã (27) será o evento de filiação em Dourados, segundo maior colégio eleitoral do Estado, onde o deputado Renato Câmara (MDB), está organizando as filiações. “Temos que reforçar o time, até para formar a chapa de vereadores e identificar o que a cidade precisa, para termos um projeto de governo”, disse ele.
Câmara disse que o foco é a “chapa de vereadores”, onde a intenção é eleger até quatro representantes na Câmara Municipal, já que hoje conta com apenas dois parlamentares. Ele também é o principal cotado para ser o candidato a prefeito, no entanto não descarta uma aliança. “Não batemos o martelo ainda”.

O partido também realiza ato de filiação amanhã (27), a partir das 17h, em Três Lagoas. Na cidade, o deputado Eduardo Rocha (MDB) já adiantou que poderia haver uma aliança com o atual prefeito, Ângelo Guerreiro (PSDB), podendo o partido focar na chapa de vereadores. “Por enquanto esta deve ser nossa direção”, avisou.
Convenção – No sábado (28), a partir das 8h, ocorre a convenção municipal em Campo Grande, quando deve se confirmar Ulisses Rocha, para mais um mandato a frente do diretório, além de começar as tratativas para eleição de 2020. “Por enquanto estamos na fase da pesquisa, mas já coloquei meu nome à disposição”, disse Márcio Fernandes (MDB).
O deputado aparece como opção para candidatura a prefeito, já que tanto o ex-governador André Puccinelli (MDB), como a senadora Simone Tebet (MDB), disseram que não tem interesse em disputar o pleito de 2020. “Acredito que será um nome prata da casa, até porque não houve a entrada de novas lideranças”, disse Fernandes.