Recurso atrasa licitação e reforma de terminais de ônibus fica para janeiro - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Recurso atrasa licitação e reforma de terminais de ônibus fica para janeiro

Empresa concorrente de licitação aberta para reforma dos terminais de transporte coletivo Júlio de Castilho, Bandeirantes e Guaicurus, em Campo Grande, questionou a vitória da empresa LT Construções de Comércio e adiou em alguns dias a assinatura do contrato para o início das obras. A empresa apresentou o valor de R$ 2.087.903,84, R$ 283.123,11 mais barato do que o valor global do certame.
Terminal Morenão está na terceira etapa dos total de R$ 5,5 milhões de recursos para reforma  (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)
De acordo com o diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janine de Lima Bruno, a análise do recurso acabou roubando uns dias para início das obras. “O processo deve descer para gente esta semana e já vamos assinar contrato. Aí a empresa precisa ver a logística para iniciar a obras”, afirmou. A previsão é de que as melhorias comecem em janeiro de 2020.
O resultado da licitação foi questionado pela empresa Construtora Paulo Barbosa. No entanto, o recurso foi indeferido em 12 de novembro de 2019. Com isto, o resultado final do processo foi publicado apenas no dia 20 de novembro. O prazo para execução das obras é de 180 dias.
A melhorias tratam-se da primeira etapa de um total do pacote para reforma de 9 terminais com investimento previsto de R$ 5,5 milhões.
Outra licitação está em tramitação. O investimento R$ 3.117.259,73 será dividido em dois lotes e prevê reparos e mudanças em quatro grandes terminais e dois pontos de integração. Do total que será investido, R$ 2.242.090,42 cobrirá gastos com intervenções nos terminais Aero Rancho, General Osório e Nova Bahia. Os outros R$ 804.969,81 é referente às adequações nos pontos de integração Hércules Maymone, Moreninha e Terminal Morenão.
As obras contemplam a estrutura, sistemas elétricos e hidráulicos, e incluem instalação de novos itens, a exemplo de grades de proteção no entorno dos terminais. Também estão previstas instalação de lâmpadas de led, novos bancos, pontos de recarga para celular – semelhante ao que acontece em aeroportos e rodoviárias -, novos letreiros, bicicletários e lixeiras seletivas.
A acessibilidade também será maior com os novos modelos de terminais. Além de bebedouros acessíveis e piso tátil, um mapa tátil nas entradas terá informações para pessoas com deficiência visual sobre as plataformas de embarque e desembarque.