Polícia do PY diz ter achado casa onde PCC organizou fuga na fronteira - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Polícia do PY diz ter achado casa onde PCC organizou fuga na fronteira

A inteligência da polícia paraguaia acredita ter encontrado, na manhã desta terça-feira (21), residência onde o PCC (Primeiro Comando da Capital) organizou o esquema de fuga de, ao menos, 74 presos da Penitenciária de Pedro Juan Caballero, na linha de fronteira com Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, na madrugada de domingo (21).Somente 48 horas depois da fuga em massa de integrantes da maior facção brasileira, setores da polícia paraguaia e Ministério Público realizaram operação de “varredura” no entorno do presídio. Conforme apurou  junto à Polícia Nacional do Paraguai, a casa é localizada a, aproximadamente, 400 metros do presídio.
Autoridades paraguaias investigam esquema de corrupção no presídio e liberação de presos, parte deles durante a semana, ao invés da fuga pelo túnel escavado na ala destinada ao PCC, hipótese inicial veiculada pelo país vizinho. Ainda sem conclusão, a investigação no Paraguai já fala em uso de vans de fornecimento e saída, de presos, pelo portão principal.Na casa, foram encontrados dois brasileiros, um homem e uma mulher, que estariam ligados à facção. O homem foi identificado pela polícia como Felipe Zambelli Pereira, de 28 anos, natural do Guarujá (SP). A polícia paraguaia afirma que ele tem antecedentes por crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de armas. A mulher, identificada como Denise Rolon de Oliveira, de 36 anos, é natural de Ponta Porã.
Na casa, a polícia paraguaia de antinarcóticos apreendeu 27 quilos de cocaína. A inteligência paraguaia afirma que o local servia como posto de comando do PCC, e que é possível que o espaço fosse frequentado por lideranças da facção. As pessoas presas durante a operação serão ouvidas pelo Ministério Público e conforme apurou
, devem responder à Justiça do país vizinho.
A ação começou por volta das 7h30 e envolveu diferentes forças da segurança pública do governo paraguaio, com uso de helicóptero da polícia nacional. Além dos dois brasileiros encontrados na casa, a polícia prendeu outras 5 pessoas, de nacionalidade paraguaia, por crimes que variam de “violência familiar a roubo”.