Profissional de saúde usava Toddynho para dopar e estuprar enteada - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Profissional de saúde usava Toddynho para dopar e estuprar enteada

Profissional da área de saúde de Ivinhema – a 282 quilômetros de Campo Grande – foi preso por estuprar a enteada de 9 anos. O crime foi descoberto depois que a menina foi levada pela avó para uma consulta médica. Ela relatou que era dopada e abusada pelo ex-padrasto há cerca de um ano.Conforme o site Ivinotícias, a mãe da menina é separada do suspeito, de 59 anos, mas tem uma filha com ele. Como a relação com a enteada com ele sempre foi muito próxima, todas as vezes que a criança ia para a casa do pai, a vítima a acompanhava.
Nesse início de ano, as duas irmãs passaram vários dias com o homem. Assim que voltou para a casa da avó, a menina começou a reclamar de dores e foi levada ao posto de saúde. Para a mulher, a neta estava com infecção urinária, mas durante a consulta o médico constatou lesões nas partes íntimas da menina e acabou descobrindo sobre os abusos.
A menina então contou que era estuprada pelo ex-padrasto há cerca de um ano. Lembrou que o suspeito sempre amassava um comprimido na pia, colocava dentro de um Toddynho e dava para ela tomar. A bebida a deixava sonolenta e o homem aproveitava para cometer os abusos, que duravam várias horas.
Ela relatou ainda que tentou reagir durante o último estupro e chegou a bater na cara do ex-padrasto, mas não conseguiu evitar o crime. Após constatar os abusos, o médico acionou o Conselho Tutelar da cidade, que levou a criança e a avó até a delegacia.
Com o depoimento da menina, a delegada Gabriela Ribeiro de Souza e Violin pediu a prisão preventiva do suspeito, que foi aceita pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Ivinhema. A equipe de investigação da delegacia encontrou o homem logo em seguida. Ele está preso desde o dia 23 de janeiro.