Suspeita é que veterinária sofreu overdose em motel com empresário - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Suspeita é que veterinária sofreu overdose em motel com empresário

A médica veterinária, de 29 anos, que morreu na BR-262, na noite dessa quinta-feira (17), depois de sair em surto de um motel na saída para Três Lagoas, em Campo Grande, rastejava no asfalto, gritando o tempo todo, e espumava pela boca, segundo testemunhas do ocorrido. As pessoas que tentaram ajudar a jovem relataram que ela saiu correndo de dentro do estabelecimento
A jovem estava acompanhada de empresário de 30 anos, filho de pecuarista muito conhecido na Capital. Ainda de acordo com as testemunhas, ele tentou colocar a moça para dentro da caminhonete que conduzia, uma VW Amarock, mas diante das circunstância acelerou e foi embora do local.
Foi depois da confusão que a moça entrou entre o pneu e o eixo de um caminhão que estava parado no acostamento, próximo ao cruzamento com a Avenida Doutor Paulo Adolfo Bernardo, na região do Jardim Noroeste. O motorista do caminhão relatou à polícia que viu a jovem vindo em sua direção e conseguiu frear, evitando o atropelamento.
Quando as equipes de salvamento chegaram ao local ela já estava morta. A principal tese da polícia é que a veterinária tenha sido vítima de overdose, por causa dos sintomas - agitação extrema, confusão mental, pupilas dialtadas. Testemunha - Uma dona de casa, de 34 anos, que preferiu não se identificar, conta que tentou conter a vítima. “Comecei a ouvir os gritos dela dentro do motel. Ela dizia que o homem iria matar ela e então ela saiu correndo para fora. Eu fiquei preocupada e vim tentar ajudar”,Ainda segundo a moradora, a vítima estava visivelmente descontrolada. “Eu pedia para ela se levantar, dizia que ia ficar tudo bem, mas ela falava que a mãe dela não podia ver ela daquele jeito”, conta.
O empresário também teria tentado ajudar a controlar a mulher antes de fugir. “Ele dizia que ela ia acabar com a vida dele até que em determinado momento ele jogou as coisas dela na rua e foi embora”, completa a moradora.
Segundo a testemunha, foi nesta hora que a veterinária atravessou a rodovia e foi até o caminhão que estava parado. Pessoas tentaram retirar a vítima, mas ela se negou a sair debaixo do caminhão.
Detalhes da apuração - O Campo Grande News apurou que um advogado do empresário esteve na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro durante a madrugada e prometeu que o cliente se apresentaria para prestar esclarecimentos. 
A equipe que esteve no quarto do motel contou à reportagem que não havia sinais de violência – o quarto estava arrumado –, mas que resquícios de substância que parece ser cocaína foram encontrados no local.
No estabelecimento, a informação é que apenas o proprietário pode falar sobre o assunto, mas funcionária não quis repassar o telefone dele.
A reportagem tentou contato com o advogado do empresário, ligou no curtume de propriedade da família e a informação é que ele está viajando. Um recado também foi deixado na caixa postal do celular dele.