Casal sai para namorar e homem termina a noite espancando a esposa - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 10 de março de 2020

Casal sai para namorar e homem termina a noite espancando a esposa

Mesmo no Dia Internacional da Mulher, mais um caso de violência doméstica é registrada em delegacias de Mato Grosso do Sul. Desta vez, um homem de 44 anos espancou a esposa de 41 anos e depois a arrastou pelos cabelos enquanto a vítima dormia e foi agredido pelo enteado, que saiu em defesa da mãe. O crime aconteceu na Vila Ubiratan, em Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande, na madrugada deste domingo (8).

O homem procurou a Polícia Civil e estava visivelmente bêbado. Ele contou que ‘estapeou’ a esposa e foi agredido pelo enteado. Logo depois, a mulher chegou com os três filhos na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento), de 6, 13 e 29 anos. 

Ela contou que no sábado (7), saiu com o marido para namorar, indo até um bar na rua Eulalia Pires. No local, eles teriam tido uma discussão, onde o homem a puxou pelo cabelo. Pessoas que estavam próximas, tentaram separar o agressor e tirá-lo de perto. 

Segundo o relato da vítima, ela queria ir embora, mas ele estava com as chaves do carro e a segurava para não sair do bar. Um rapaz que estava no local, achou a chave e entregou à mulher. Ela foi embora por volta das 2h deste domingo (8).

Quando a mulher já estava em casa dormindo, o suspeito chegou às 5h40, abriu a janela do quarto do casal e a puxou pelos cabelos, arrastando a vítima pela cama. 

A mulher gritou pela filha e pediu para chamar o irmão mais velho, que mora no quintal da mãe. Neste momento, o agressor entrou na casa e agrediu a esposa com um capacete e chutou a enteada de 13 anos. Ainda conforme relato da mulher, após a filha ser agredida, ela derrubou o agressor. 

Quando o filho foi socorrer a família, encontrou o suspeito com uma pedra na mão, completamente alterado e foi para cima do rapaz. Os dois entraram em luta corporal. O agressor continuou na casa xingando a adolescente. A família saiu da casa e procurou a polícia, sendo seguida pelo agressor. Ela pediu medida protetiva e manifestou o desejo de representar criminalmente contra o autor.

Fonte: Midiamax