Morta pela mãe, menina de 10 anos foi enterrada viva e implorou socorro - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 23 de março de 2020

Morta pela mãe, menina de 10 anos foi enterrada viva e implorou socorro - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

O assassinato de uma menina de 10 anos, morta pela própria mãe, uma mulher de 29 anos, em Brasilândia, ganha o acréscimo de horror no relato do irmão da vítima, um adolescente de 13 anos, que foi apreendido pelo crime. -Na delegacia de Polícia Civil da cidade, acompanhado por conselheira tutelar, ele disse que após a menina ser enforcada, a mãe ordenou que ele ajudasse a ocultar o corpo. A criança foi colocada de cabeça para baixo num buraco, mas ainda assim estava viva e pediu socorro.

 “Que alega que sua irmã já estava dentro do buraco, quando ouviu ela gritar, dizendo socorro e mexeu os pés. E que nesse momento já tinha jogado terra sobre o seu corpo e sua mãe pisava por cima para socar a terra”, disse o adolescente à polícia.

Ele conta que estava jogando bola e, por volta de 14h30 de sábado (dia 21), voltou para a casa. Na ocasião, a mãe e a irmã estavam brigando. Quando viu o adolescente, a mãe fez a seguinte afirmação: “ela não vai viver mais porque essa menina é mentirosa”.

Na sequência, a mulher também disse que a menina relatou que o padrasto foi autor de abuso sexual. No momento da discussão, o padrasto estava dormindo e os irmãos jogavam videogame.

Depois, a mulher pegou um fio de solda, que o adolescente acreditava que era para bater na menina. Mas a mãe, visivelmente embriagada, prosseguiu: “vou acabar com a vida dela porque não quero que minha filha fique mal falada”.

Por ordem, da mãe, os dois filhos entraram no carro. Numa estrada após o aterro municipal,  margeada por mata e plantação de eucalipto, a mulher parou o carro e os irmão saíram correndo.

Porém, a menina foi alcançada e começou a gritar. Quando ouviu silêncio, ele se aproximou das duas e viu a mãe estrangulando a irmã.  Depois, ocultaram o corpo. O adolescente foi deixado perto de casa pela mãe. Já na residência, tomou banho e jogou no celular. A mãe retornou, confessou o crime para o marido e relatou que iria se entregar. -