Movimento maior na Afonso Pena indica "retomada" da vida em meio à quarentena - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 31 de março de 2020

Movimento maior na Afonso Pena indica "retomada" da vida em meio à quarentena -

Pelo tráfego de carros e de pessoas logo cedo na Avenida Afonsa Pena, que corta a região central de Campo Grande de ponta a ponta, esta terça-feira (31) está diferente dos dias anteriores de quarentena contra a disseminação do novo coronavírus. O volume de carros ainda não é normal para um dia de semana, mas está bastante acima dos dias em que as autoridades passaram a recomendar o “fique em casa”, há duas semanas.

 -A reportagem identificou, além do movimento maior de automóveis, pessoas caminhando, passeando com cachorro, trabalhadores na ciclofaixa uniformizados a caminho do trabalho, abastecendo veículos no posto de combustível. Na pista, ao lado dos carros, o caminhão da coleta de lixo, que segue normalmente, com exceção do recolhimento dos materiais recicláveis, ainda suspenso.

 O maior movimento é na Praça  Ary Coelho, que serve de ponto para o transporte coletivo, ainda está restringido mas ampliou a oferta para trabalhadores das farmácias, supermercados e operários da construção civil. Este último setor teve autorização para retomada do trabalho, valendo para obras com até 20 pessoas desde segunda-feira (30).

“Já estava há dias com a cidade parada”, comentou o manobrista Jovercides Liberato da Silva, 25 anos, que seguia para o seu dia munido de máscara no rosto. Ele admitiu receio por causa do vírus presente no mundo todo e defendeu que se espere mais para retomar o andamento da cidade. “O problema a doença ta aí  e quanto menos gente ficar na rua e se expor, melhor. “ -Outros países mais desenvolvidos estão sofrendo,  imagina   aqui no Brasil que saúde não é   muito   boa”, observou.

O que volta hoje - As linhas do transporte coletivo que estavam atedendendo os profissionais da saúde serão reforçadas a partir desta terça-feira para levar também funcionários de supermercados, farmácias, lojas de material de construção e obra.