Temendo contágio, MP vai entrar na Justiça contra abertura de igrejas - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

domingo, 29 de março de 2020

Temendo contágio, MP vai entrar na Justiça contra abertura de igrejas

A promotora titular da 32ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, que atende questões de saúde pública, Aparecida Depolito Fluminhan, disse, neste sábado (28), que vai ingressar com medida judicial contra a abertura das igrejas, permitida depois que a Prefeitura regulamentou decreto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). - Na sexta-feira (27), a Justiça Federal proibiu que o presidente Jair Bolsonaro adote medidas contrárias ao isolamento social e também suspendeu a validade dos dois decretos editados pelo presidente na quinta-feira (26) que classificaram igrejas e casas lotéricas como serviços essenciais.

Por enquanto, seguindo regulamentação municipal, igrejas de Campo Grande podem receber fiéis em apenas 2 missas e cultos por dias, com higienização completa,inclusive de bancos, antes e depois das celebrações.  Neste sábado, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que o decreto continua e que qualquer mudança será feita após decisão judicial em Mato Grosso do Sul.

"As igrejas vão seguir o decreto do governo federal até deliberação da ordem judicial", disse o prefeito.

Reuniões - Neste sábado, a promotora participou de reunião com o prefeito e outros setores afetados pelas medidas de contingenciamento do novo coronavírus. Ela relatou reunião com representantes das igrejas evangélicas, mas pontuou que não foi possível acordo.

Ontem, ainda assim, depois de sair de reunião com líderes de igrejas evangélicas, o prefeito disse ter recebido boas notícias. Apesar do decreto federal que liberou cultos e missas, desde que os templos cumpram requisitos rigorosos de higiene e proteção dos fiéis, ele comentou que parte das casas religiosas não vai reabrir por enquanto.

“Vieram hipotecar solidariedade, estão orando e estão cada vez mais com fé na nossa cidade”, afirmou o chefe do Executivo municipal.