Distribuição de cestas começa na Capital e segue para 8 cidades a tarde - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Distribuição de cestas começa na Capital e segue para 8 cidades a tarde

O governo estadual começou hoje de manhã (27) a distribuir a primeira remessa de 20 mil cestas básicas para famílias carentes, durante a pandemia do coronavírus. Foram 1,5 mil itens para Campo Grande e a tarde os alimentos seguem para mais oito municípios do interior do Estado. Todas as cidades serão contempladas com esta ajuda, que teve um investimento de R$ 5,8 milhões.

Cestas básicas para famílias carentes (Foto: Paulo Francis)

 O começo da distribuição partiu da sede do programa Rede Solidária, que fica no bairro Noroeste, em Campo Grande. A secretária estadual de Assistência Social, Elisa Cleia Nobre, contou que nesta tarde seguem as cestas para as cidades de Bandeirantes, Corguinho, Rio Negro, Jaraguari, Ribas do Rio Pardo, Rochedo, Sidrolândia e Terenos. "Ao todo são 60 mil cestas (básicas), que serão distribuídas durante três meses", explicou.

A logística foi organizada pela Defesa Civil, que ajudou também na identificação das famílias e definição da lista de quem será contemplado com a ajuda.

Os caminhões do governo estadual seguem com os alimentos até os municípios e depois as prefeituras locais farão a entrega. "Os municípios no forneceram as listas com nomes, endereço,  contato destas famílias que irão receber os alimentos".

Para definir os contemplados, se levou em conta as famílias que estão em situação vulnerável, o número de pessoas de cada cidade, assim como o registro de casos confirmados do novo coronavírus.

"Fizemos a logística e ajudamos a definir os beneficiados, agora é só a questão da entrega do itens", disse o coordenador da Defesa Civil, Fábio Santos Coelho.

As cestas são compostas por pacotes de macarrão, leite integral, arroz, açúcar, feijão, óleo de soja, sardinha em conserva. Segundo o governo, os produtos são de "primeira qualidade" e foram embaladas em material resistente. A intenção é ajudar estas famílias que ficaram em situação mais grave, com a pandemia de coronavírus no Mato Grosso do Sul.