Nos bancos, véspera de feriado tem fila por auxílio e para resolver pendências - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Nos bancos, véspera de feriado tem fila por auxílio e para resolver pendências

Muitas pessoas aproveitaram a véspera de feriado (20) para seguir cedo ao banco, na expectativa de resolver pendências e receber o auxílio emergencial de R$ 600,00, concedido pelo governo federal, devido o coronavírus. A agência da Caixa Econômica Federal, na Rua 13 de Maio, começou sua fila por volta das 5h20 da manhã, quando o enfermeiro Marcos Vinícius Borges, de 28 anos, chegou ao local para garantir o atendimento. Ele contou que foi resolver questões burocráticas.

“Como se trata da véspera do feriado, acreditei que estaria mais vazio para resolver estas pendências no banco, por isso vim cedo, para ser o primeiro a ser atendido”, contou ele à reportagem. O segundo da fila foi o corretor de imóveis Davi Carlos, de 65 anos, que está com suas atividades paradas devido o coronavírus. Ele foi até o banco de máscara arrumar dados do seu cadastro, para receber o auxílio emergencial.

“Estava com meu telefone errado (cadastro), por isso me orientaram a vir até aqui arrumar este dado, já que isto pode me causar problemas no futuro, para receber as outras parcelas do auxílio”, explicou.]

Já Joule Caldeira, 31, chegou ao local às 7h e se espantou que já tinha fila no banco, ela acreditou que na véspera do feriado, a procura seria menor. “Tive que vir aqui para desbloquear meu cartão e já tem uma fila esperando”, confidenciou.

Auxílio – Aqueles que fizeram cadastro no site ou aplicativo da Caixa, podem seguir ao banco para receber o auxílio de R$ 600,00 concedido pelo governo federal, durante o período de pandemia. Este valor já foi liberado desde sexta-feira (17) para quem se cadastrou. Este cadastro por estas plataformas só é necessário quando o beneficiado não faz parte do Cadastro Único ou recebe o Bolsa Família. O recurso visa ajudar aqueles profissionais autônomos e informais que foram prejudicados devido a pandemia.