Prefeitura convoca servidores e vai retomar ano letivo sem alunos - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Prefeitura convoca servidores e vai retomar ano letivo sem alunos

Todos os servidores da Rede Municipal de Ensino foram convocados a voltar ao trabalho em Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as aulas nas 45 escolas e 39 centros de educação infantil estão suspensas desde o dia 18 de março. A reapresentação foi marcada para segunda-feira (27), para retomada do ano letivo, mas sem a presença dos alunos.

A convocação foi feita nesta quinta-feira (23) e informada em nota distribuída pela assessoria de imprensa da prefeita Délia Razuk (PTB). São pelo menos 3.600 servidores, entre professores concursados e contratados e administrativos.

De acordo com a prefeitura, a convocação ocorre devido à necessidade de cumprimento de medidas legais. Todos os servidores deverão se reapresentar nas unidades educacionais onde são lotados.

Ontem de manhã, o secretário municipal de Educação Upiran Jorge Gonçalves da Silva mandou comunicação interna para as escolas e centros infantis informando que devido à suspensão das aulas, 1.400 professores contratados não receberiam o salário de abril. À tarde, a prefeita desmentiu o assessor e disse que ninguém ficaria sem pagamento.

Upiran tinha tomado a decisão baseado em parecer do procurador geral do município Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo, que recomendou a suspensão ou até mesmo a extinção dos contratos com professores contratados.

Na nota distribuída hoje, a Secretaria de Educação informa que serão convocados os gestores das escolas e centros de educação infantil para orientar sobre as medidas de segurança dos servidores e também sobre os procedimentos que serão adotados para o retorno do ano letivo de 2020, ainda sem a presença de alunos.

“Em função da suspensão das aulas na rede municipal, motivada pela pandemia do novo coronavírus, a administração informou que estão suspensas, enquanto durar a paralisação das atividades, as gratificações decorrentes do efetivo exercício das respectivas funções, ou seja, adicional de alfabetização, adicional de multisseriada, adicional noturno e adicional de difícil acesso”, informa a prefeitura.

Prefeita Délia Razuk prometeu manter salário de professores contratados mesmo sem aulas (Foto: Reprodução)