"Tinha raiva, ciúmes ou queria ela", afirma pai de Graziele sobre assassino - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 20 de abril de 2020

"Tinha raiva, ciúmes ou queria ela", afirma pai de Graziele sobre assassino

“O meu coração no momento fala que alguém sentia uma raiva dela, ou ciúmes, ou alguém queria ela, e ela não quis”. Esse é o pensamento externado pelo publicitário Stephan Hofmann, pai de Maria Graziele Elias de Souza, de 21 anos, ao ser indagado sobre quem possa ter sido responsável pelo assassinato da jovem. Com o rosto aparentemente desfigurado, o corpo de Maria Graziele foi jogado no mato, às margens da BR-262, entre a saída de Campo Grande e a de Sidrolândia. Ficou ali por pelo menos 4 dias, até ser achado ontem no fim da manhã, por acaso, por um motorista que ficou sem combustível e parou para buscar sombra perto do lugar. Estava irreconhecível, uma violência absurda para qualquer familiar.