FRONTEIRA| Privilégio gera crise e prefeito de Pedro Juan Caballero vai para destacamento militar - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 12 de maio de 2020

FRONTEIRA| Privilégio gera crise e prefeito de Pedro Juan Caballero vai para destacamento militar

Gerou crise política a “saidinha” do prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, para passear na casa de parentes em Ponta Porã no Dia das Mães. Por cruzar a fronteira ilegalmente, já que o Paraguai está em quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, Acevedo teve a prisão decretada.

Hoje cedo ele foi notificado, mas por decisão do Ministério da Saúde daquele país, deveria cumprir o isolamento de 14 dias em casa. Mas a regalia ao político do Partido Liberal gerou críticas ao governo e ao Ministério Público, já que todos os cidadãos paraguaios que retornam ao país são obrigados a ficar de quarentena em albergues, onde centenas estão recolhidos atualmente.
No início desta tarde, a promotora Camila Rojas determinou que o prefeito fosse levado para outro local, já que em Pedro Juan Caballero não há albergues para cumprir a quarentena. Por volta de 14h, Acevedo foi levado de ambulância até o destacamento militar na cidade de Concepción, a 220 km de Pedro Juan Caballero.

A ordem foi cumprida por agentes da Polícia Nacional. O político saiu de casa levando uma mala. Acevedo terá de ficar no local pelo menos até o dia 25 deste mês. Pedro Juan Caballero tem 11 casos de coronavírus. Em Ponta Porã são dois casos confirmados.

O diretor da 13º região sanitária do Paraguai Nelson Collar, que de manhã foi até a casa do prefeito para comunicá-lo da quarentena obrigatória, classificou de irresponsável a medida tomada por José Carlos Acevedo. No domingo, o prefeito passou pela barreira do Exército e cruzou a fronteira livremente.

Nesta segunda-feira, o presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez determinou troca no comando militar local por causa do episódio. Acevedo deve ser denunciado formalmente por descumprir a quarentena e corre risco de perder o cargo. Ele é prefeito de Pedro Juan Caballero desde 2015 e o mandato termina neste ano. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Helio de Freitas, de Dourados