Pela morte de 7 pessoas, pedreiro pode ser condenado a 230 anos, mas cumprir 40 - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

domingo, 17 de maio de 2020

Pela morte de 7 pessoas, pedreiro pode ser condenado a 230 anos, mas cumprir 40 -

Matador confesso de 7 pessoas, entre 2015 e 2020, o "Pedreiro Assassino' Cléber Gonçalves, 43 anos, vai responder por dois tipos de crime, pelo que foi descoberto até agora: homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Considerando as penas previstas em lei, ele pode ser condenado a mais de 230 anos de prisão.São 7 vezes a pena por homicídio qualificado, cuja condenação máxima é 30 anos, mais 7 vezes a o ocultação de cadáver, com tempo de reclusão é de até 3 anos. - Seriam, portanto, segundo a possibilidade da lei penal, cabíveis até 210 anos de cárcere pelos homicídios e mais 21 por esconder os corpos das vítimas debaixo da terra. A soma total da 231 anos, em caso de punição máxima.

Esse é um exercício de 'futurologia', obviamente, calçado nas acusações já feitas contra o pedreiro.

Até chegar a uma condenação, há todo o processo legal: a finalização dos inquéritos pela Polícia Civil, a apreciação pelo MPMS para oferecimento da denuncia, a análise pelo juiz para decidir se leva ou não o réu ao júri popular.

Se condenado, como está definido pela lei de execução penal brasileira, o Pedreiro Assassino, ficará, em tese, apenas 40 anos em regime fechado.

A lei de execução penal brasileira impede que condenados fiquem além disso. Com a idade que tem hoje, Cleber só colocaria o pé fora da cadeia aos 93 anos, se for condenado.

O caso remete a outro serial killer preso em Campo Grande em 2015.  Luiz Alves Martins Filho, o Nando,  enfrentou 1 ano e 7 meses de julgamentos.  A investigação levou as equipes até um “cemitério clandestino” no Jardim Veraneio, local que era usado pelo grupo para matar e enterrar 16 corpos.

Mas nem sempre a pena máxima foi imposta que foi condenado a  175 anos de prisão.. -