Regina Duarte deixa Secretaria de Cultura após 77 dias no cargo - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Regina Duarte deixa Secretaria de Cultura após 77 dias no cargo

A passagem de Regina Duarte pela secretaria Especial da Cultura durou 77 dias. Há pouco, nesta quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que a atriz vai assumir a Cinemateca de São Paulo.
O anúncio foi feito pelo Twitter, como já é de praxe pelo presidente. Segundo escreveu, Regina “relatou que sente falta de sua família”.
Regina Duarte tomou posse da secretaria de Cultura do governo Bolsonaro há pouco mais de um mês (Foto: Alan Santos/PR)
Bolsonaro também publicou vídeo, em que ele e Regina, em frente ao Palácio do Planalto, conversam de maneira aparentemente descontraída. A atriz provoca, pois teria lido “na imprensa, que ela não acredita mais”, que Bolsonaro estaria “fritando” a agora ex-secretária.
“Queria que ele me dissesse pessoalmente. Tá me fritando presidente?”, diz. Bolsonaro responde que a mídia tenta desestabilizar o governo e garante que “jamais ia fritar” Regina Duarte.
A atriz compara a saída da secretaria de Cultura a um “presente” e reforça que assumir a Cinemateca é o “sonho de qualquer pessoa de comunicação”.
Ainda em tom descontraído, Jair Bolsonaro diz que a Cinemateca fica perto do apartamento de Regina na capital paulista. “Sinto falta da minha família, dos meus netos”, complementa a atriz.
Regina Duarte assumiu a secretaria Especial da Cultura no dia 4 de março, na vaga de Roberto Alvim, demitido após publicar vídeo com expressões e referências claras à propaganda nazista.
Durante os pouco mais de dois meses à frente da pasta, subordinada ao ministério do Turismo, a atriz foi criticada pela classe que representa após silêncio da secretaria diante da morte de grandes nomes da cultura, como o ator Flávio Migliaccio e o escritor Rubem Fonseca - além do compositor Aldir Blanc, vítima da covid-19.