Ocupação dos leitos de UTI se aproxima do limite - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Ocupação dos leitos de UTI se aproxima do limite

Com o avanço da Covid-19 e o aumento das internações pela doença, a taxa global de internação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Campo Grande saltou de 72% na terça-feira (7) para 77% ontem, de acordo com o prefeito Marcos Trad (PSD). A Capital, porém, já tem hospitais onde não há vagas nesses leitos para pacientes em estado crítico.
Levantamento
em todos os hospitais da cidade com UTIs para tratamento de casos de Covid-19 mostrou que, até o início da noite de ontem, a ocupação dos leitos, em sua maioria, era de pacientes com outras enfermidades, mas que usavam as vagas que seriam destinadas para infectados pelo coronavírus.
“Ainda há uma disponibilidade de 23% dos leitos não ocupados, mas isso não é um número a ser comemorado. É um sinal de alerta”, declarou o prefeito.
No Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, o único da cidade a receber pacientes com Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS), dos 83 leitos críticos, UTIs e semi-intensivos, apenas cinco estavam disponíveis, conforme balanço divulgado pela unidade médica, ou seja, uma ocupação de 94%. Um pouco menor que a de terça-feira, quando o hospital chegou a ter apenas dois leitos disponíveis no setor.
De acordo com o Regional, até ontem, 257 pacientes que passaram pelo hospital tiveram exame positivo para a Covid-19. Destes, 87 ainda estão internados no centro médico (46 em leitos de UTIs, 40 na enfermaria e um recuperado que não recebeu alta).
No hospital ainda houve 122 altas, 19 óbitos e 61 casos ainda suspeitos. A unidade, porém, não informou em que setor esses casos ainda sem confirmação estão alocados.
SANTA CASA
Na Santa Casa de Campo Grande, maior hospital de Mato Grosso do Sul e que está na retaguarda para receber pacientes quando o Regional (e seu hospital de campanha) atingirem a lotação máxima, a taxa de ocupação era de 80% nos leitos clínicos e de 85% nas UTIs na tarde de ontem. Também na quarta-feira, ainda não havia recebido pacientes do Regional nem tampouco casos confirmados ou suspeitos de Covid-19.  
Já no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, o terceiro destino dos pacientes com Covid-19 na fila dos hospitais públicos, o setor de UTIs para doenças infecciosas estava ontem com 100% de sua capacidade ocupada. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade, caso algum paciente com o novo coronavírus necessitasse de vaga, o centro médico poderia remanejar um paciente “menos grave para a clínica médica, para liberar leito para algum paciente mais grave”.
No restante do hospital, a capacidade também está próxima do limite. “Informamos que possuímos 210 leitos contratualizados. Nossa taxa de ocupação de leitos destinados a pacientes clínicos é de 64% nesse momento. Nosso CTI adulto está com ocupação total nesse momento”.