Pandemia mata tanto quanto assassinatos e o dobro do trânsito - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 14 de julho de 2020

Pandemia mata tanto quanto assassinatos e o dobro do trânsito -

Em quatro meses, desde as primeiras confirmações de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, em Mato Grosso do Sul, 167 óbitos por covid-19 foram registrados, no Estado, conforme último balanço divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde).

O número, que já chama atenção por si só, ilustra uma realidade ainda mais preocupante: de março a julho de 2020, a doença fez tantas quanto os assassinatos e matou o dobro de pessoas em relação à violência no trânsito. A situação está perto do colapso, a ponto de o hospital de referência para o tratamento da doença em Campo Grande ter se usar conteineres para abrigar corpos de pessoas que morreram em decorrência da covid-19.

Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, coletados entre os dias 9 de março e 12 de julho, apontam que 142 homicídios dolosos foram contabilizados, no Estado. Nesse exato período, foram confirmados 153 óbitos por covid-19, com 11 casos a mais que o número de assassinatos. A diferença, em percentual é de 7% a mais para as vitimas da pandemia.

Quando o assunto são as mortes no trânsito, no período consultado, 73 pessoas foram vítimas de acidentes automobilísticos. Na comparação, a pandemia teve letalidade mais de 100 por cento superior que a violência do trânsito.

Contra a alegação de que não se pode comparar a violência de hoje com a pandemia, em razão da circulação menor de pessoas, os dado de 2019, indicam que a covid-19 produziu mortes em números semelhantes ao mesmo período do ano passado.

Entre 9 de março e 12 de julho de 2019,  foram 143 homicídios dolosos, ou seja, 6% a menos do que as mortes em decorrência do novo coronavírus neste ano. Quando comparado com o número de mortes em acidente de trânsito, o total de vítimas da pandemia em 4 meses é 82% maior que o quantitativo de vidas levadas pela violência nas ruas, de 84 no mesmo quadrimestre do ano passado.

 - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS