Curso para formar sargentos tem aglomeração de policiais sem máscara Corporação diz que equipamentos são oferecidos e que vai investigar situação mostrada em gravação durante exercício com 50 alunos - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Curso para formar sargentos tem aglomeração de policiais sem máscara Corporação diz que equipamentos são oferecidos e que vai investigar situação mostrada em gravação durante exercício com 50 alunos

Foto publicada no perfil do Batalhão de Choque mostra policiais aglomerados, em meio à fumaça de bomba de efeito moral. (Foto: Reprodução do Instagram)Na mesma semana, pela segunda vez, cuidados adotados para proteção da covid-19 entre alunos de cursos de formação da PM (Polícia Militar) são colocados em xeque. Primeiro, foi em relação à presença de sintomas da doença em 75% da tropa em aula para graduação como oficial, situação sob investigação do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul.


Agora, vídeo gravado com a turma que se prepara para a promoção a sargento mostra policiais aglomerados, boa parte deles sem máscara ou qualquer equipamento para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

Além disso, a gravação tem o flagrante de um dos policiais falando em tom jocoso sobre o uso da proteção.

“Tem que usar máscara, ó o covid”, ouve-se uma pessoa dizer.

A filmagem é de alunos do curso de formação de sargentos da Corporação, que tem o objetivo de elevar a sargento 215 alunos. A responsabilidade pela formação é de CFAP (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças.

O curso era esperado desde o ano passado. Começou em março foi paralisado por causa da pandemia de covid-19 e depois retomado. Parte das aulas são virtuais, mas há atividades presenciais.

Nesse exercício em questão, turma  de 50 homens mais ou menos está no pátio do Batalhão de Choque da PM, nos altos da Avenida Afonso Pena. A gravação tem 4 minutos e foi feita na noite desta terça-feira (11).

Começa com os policiais perfilados e na sequência, eles são orientados por dois instrutores a formar dois caracóis humanos. São cerca de cinquenta alunos, divididos em colunas.