Resort particular, carrões e show de famoso: o roteiro do luxo na operação da PF - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Resort particular, carrões e show de famoso: o roteiro do luxo na operação da PF

Deflagrada nesta sexta-feira (dia 11) com nome de Status, a operação da PF (Polícia Federal) contra a lavagem de dinheiro decorrente do tráfico da cocaína também poderia se chamar ostentação.

Carros de luxo no roteiro de operação contra a lavagem de dinheiro. (Foto: Divulgação/Receita Federal)
CARROS DE LUXO NA OPERAÇÃO A LAVAGEM DE DINHEIRO

O roteiro cumprido em Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e no Paraguai mostra um circuito de luxo, com mandados de prisão em imóvel com piscina, sobrados, “resort particular”, eventos de arrancadas com veículos esportivos de alto valor, contratação de artistas famosos para eventos pessoais e dinheiro contado com ajuda de máquina diante da quantidade de cédulas apreendidas.  Ao todo, foram sequestrados R$ 230 milhões no Brasil e Paraguai.  Em Campo Grande, um dos alvos é a JV Motors, concessionária de carros de luxo localizada na Avenida Salgado Filho. A empresa foi aberta em 2018, com capital social de R$ 300 mil. Em imagens divulgadas pela Receita Federal, em outra concessionária, aparecem Ranger Rover e caminhonetes.


As investigações apontam uma organização criminosa altamente especializada no tráfico de drogas e na “lavagem” do dinheiro obtido ilicitamente. Dessa forma, a família, que liderava a organização, usufruía de veículos, lanchas, motos aquáticas, fazendas no Mato Grosso, e até de um “resort” particular, situado às margens de um famoso lago situado no município de Chapada dos Guimarães (MT). Em Campo Grande, um dos alvos é a JV Motors, concessionária de carros de luxo localizada na Avenida Salgado Filho. A empresa foi aberta em 2018, com capital social de R$ 300 mil. Em imagens divulgadas pela Receita Federal, em outra concessionária, aparecem Ranger Rover e caminhonetes.

As investigações apontam uma organização criminosa altamente especializada no tráfico de drogas e na “lavagem” do dinheiro obtido ilicitamente. Dessa forma, a família, que liderava a organização, usufruía de veículos, lanchas, motos aquáticas, fazendas no Mato Grosso, e até de um “resort” particular, situado às margens de um famoso lago situado no município de Chapada dos Guimarães (MT).