Além de abusar da velocidade, veículos adulterados de youtuber também poluiam Carros de luxo foram apreendidos em agosto; perícia foi solicitada pela Polícia Civil, que investiga possíveis crimes - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Além de abusar da velocidade, veículos adulterados de youtuber também poluiam Carros de luxo foram apreendidos em agosto; perícia foi solicitada pela Polícia Civil, que investiga possíveis crimes

 Perícia em três veículos de luxo que pertencem ao youtuber Eduardo Rezende da Silva, mais conhecido como Eduardo Razuk, comprovou que os automóveis foram adulterados de forma irregular. Relatório do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) indica ainda, que devido as modificações, os carros estão suscetíveis a emitir gases altamente poluentes, o que configura crime ambiental.


Segundo o órgão, a perícia foi realizada a pedido da Polícia Civil, que apreendeu os veículos no mês de agosto, sob suspeita de receptação, contrabando e adulteração.  Os modelos testados foram uma BMW 118i, um Mini John Cooper Works e uma camionete Amarok Extreme.


Conforme laudos do Detran, que juntos somam 105 páginas, a emissão de gases poluentes pode ser provocada pela falta de equipamentos obrigatórios, situação diagnosticada após utilização de equipamentos metrológicos cedidos por empresa de inspeção, devidamente aferidos pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia).


Conforme o engenheiro responsável pela emissão do laudo da perícia, André Canuto, entre as alterações diagnosticadas foi comprovado que todo o sistema de exaustão dos carros havia sido modificado, sendo percebida, entre outras coisas, a ausência do catalizador e da caixa acústica de ressonância intermediária.


O resultado da perícia foi repassado à Polícia Civil, que investiga envolvimento do youtuber em práticas ilegais envolvendo seus veículos.


“O Detran nos apontou uma possível ocorrência de crime ambiental, desligamento intencional de catalizador para aumentar a potência do motor, alguns ajustes em componentes do carro que comprometem o controle da emissão de poluentes, e tudo agora está sendo avaliado por nós e será encaminhado para nossa perícia, para que tenhamos mais alguma posição sobre isso”, afirma o delegado responsável pelo caso, Ricardo Meirelles Bernardinelli.


Segundo ele, além de confirmar as adulterações, a nova avaliação deverá apontar “se os veículos realmente estão causando algum dano ao meio ambiente e em qual gravidade”.


Enquanto isso, os veículos devem continuar apreendidos. “Vamos manter a apreensão para que, futuramente, o juiz possa decidir”, afirmou Bernardinelli.  Laudos – Conforme apontado pela perícia do Detran, análises da BMW indicam que o veículo trata-se de modelo modificado estruturalmente para se passar por modelo superior. O automóvel também apresentou modificações no gerenciamento eletrônico do motor, no sistema de segurança e escapamento.


Já a Mini Cooper, conforme laudo, também passou por modificações no sistema de gerenciamento eletrônico do motor e seu escapamento, apesar de parecer original, foi modificado internamente a fim de dificultar sua verificação em fiscalizações de trânsito.


Contudo, as mudanças foram feitas em equipamentos obrigatórios pela Legislação Ambiental, fazendo com que passasse a poluir além dos limites legais.


Em relação a camionete, o laudo apontou que, por se tratar de um veículo a diesel, já possui indicadores elevados de poluição. Porém, o proprietário realizou modificações semelhantes às dos demais carros. Sendo que, neste caso, a Central Eletrônica identificava como aprovado, equipamento ausente no veículo.


“A manipulação é tamanha que a tubulação da saída da turbina estava na cor azulada, o que caracteriza intempérie do material devido ao excesso de calor”, explicou o engenheiro responsável pelo laudo.


O outro lado – A reportagem conversou com o advogado Marlon Ricardo, responsável pela defesa do youtuber, que afirmou ter tido acesso apenas a um dos laudos, do modelo Mini Cooper. O profissional negou que qualquer tipo de modificação tenha sido feita por Razuk.


“Foi adquirido três dias antes de ser apreendido, não teve nenhum tipo de adulteração, nem mesmo estética, nada. Cheguei a apresentar laudo de vistoria cautelar”, afirmou.


Sobre a perícia, o advogado contestou o resultado. “No teste realizado, de emissão de gás e emissão sonora, o veículo foi considerado aprovado. Disse que havia adulteração no sistema de exaustão, mas é estranho, porque ao mesmo tempo fala que em relação a emissão de gases o veículo foi aprovado”, ressalta.