Depois de chuva, cai para 35 número de focos de fogo no Pantanal, nenhum em MS Combatentes permanecem em terra e ações só serão desmobilizadas 48 horas após extinção total dos focos - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 17 de outubro de 2020

Depois de chuva, cai para 35 número de focos de fogo no Pantanal, nenhum em MS Combatentes permanecem em terra e ações só serão desmobilizadas 48 horas após extinção total dos focos

 Dois dias depois de chuva que chegou ao Pantanal de Corumbá e também do Mato Grosso, apenas 35 focos foram registrados no bioma nas últimas 48 horas, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Na cidade branca, no mesmo período, nenhum novo foco foi identificado desde quinta-feira.


Pelos números oficiais do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), de lá para cá, a precipitação alcançou volume de apenas 2,6 milímetros, mas que aumentou a umidade do ar, facilitando o combate às chamas.  

Já em Cáceres (MT), onde também há Pantanal, não houve registro de chuvas, conforme dados do Inmet. Mesmo assim, as informações de autoridades à frente das operações de combate, os principais e mais difíceis focos de incêndio já foram extintos.


No Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense, por exemplo, restam poucos focos. No entanto, até ontem, grande extensão ainda queimava, como pode-se ver em vídeo enviado pelo PrevFogo.


Mesmo assim, até 48 horas após a extinção total de todos os focos, as equipes de combate permanecem nas áreas prevenindo qualquer possibilidade de reignição do fogo.  Como a chuva não foi intensa, ainda havia, até ontem, muita fumaça sobre Corumbá, segundo relatou o tenente-coronel Waldemir Moreira, do Centro de Operações Ambientais do Corpo de Bombeiros. Na Serra do Amolar, havia também muita fumaça até ontem.