Polícia flagra "consórcio da maconha" e leva 15 pessoas para delegacia Negociação era feita por grupo no Whatsapp entre envolvidos para divisão da droga - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 14 de novembro de 2020

Polícia flagra "consórcio da maconha" e leva 15 pessoas para delegacia Negociação era feita por grupo no Whatsapp entre envolvidos para divisão da droga

 Grupo de 15 pessoas foi flagrado, na na noite desta sexta-feira (13), fazendo espécie de “consórcio de maconha”. Dois foram presos em flagrante fazendo o rateio da droga. A rachadinha acontecia em uma casa no Jardim Seminário, em Campo Grande. O caso foi registrado como tráfico de drogas.


Além dos dois homens enquadrados em tráfico, quatro foram considerados como usuários do entorpecente e os restantes figuraram como testemunhas.


Conforme informações do boletim de ocorrência, a negociação era feita por grupo no Whatsapp. O consórcio, segundo apurou a equipe policial, usou R$ 4 mil para comprar cerca de dois quilos da droga.


O tipo de entorpecente apreendido é chamado de maconha em "bucha", ou ainda "camarão", por ser ter menos processamento, sem ser prensada. Por isso, é considerada de melhor qualidade.


Os envolvidos já eram investigados. Com a informação nas mãos, policiais do Goi (Grupo de Operações Especiais) com apoio da Denar (Delegacia Especializada de Repressão aos Narcóticos) foram até a casa quando os homens aguardavam a chegada da droga para fazer a distribuição, diz o boletim. O local foi monitorado e a abordagem foi feita por volta das 20h30.


Ainda segundo as informações, havia maconha espalhada na varanda da casa, sendo dividida entre os envolvidos. Além dos homens que já estavam na residência, chegaram outros.


A maconha estava em uma bacia e em sacos. Também havia uma balança de precisão para pesagem da droga. Celulares foram apreendidos.


Quatro dos seis homens estavam com pequenas porções do entorpcente, já que ainda não “haviam adquirido sua cota parte da droga”, de acordo com o boletim de ocorrências. Os outros dois, presos em flagrante, eram os que levavam a maconha do Jardim Los Angeles até o Seminário.


Estratégia do tráfico - Ainda segundo o boletim, os envolvidos faziam a negociação por grupo no Whatsapp, fechavam uma quantia em dinheiro e entregavam para um representante. O responsável pela compra da droga, pegava o montante e ia até o Jardim Los Angeles pegar o entorpecente com um “vendedor”. Ele voltava com a maconha e fazia a divisão.


O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro.


Nesta semana, outro caso do tipo chamou atenção, quando grupo de jovens foi flagrado indo para condomínio de luxo na Afonso Pena para consumir drogas, segundo informaram. Eles só foram pegos porque se confundiram com a entrada do combustível e acabaram parando na frente do quartel do Batalhão de Choque da Polícia Militar.[