*Com ação inédita, Waldeli encerra mandato com pagamento de 17º e parte do 18º a professores* - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 2 de janeiro de 2021

*Com ação inédita, Waldeli encerra mandato com pagamento de 17º e parte do 18º a professores*

 


Ao encerrar seu mandato como prefeito de Costa Rica no último dia 31 de dezembro de 2020, além de muitas conquistas para a cidade, ele fez questão de pagar o 17º e 10% do 18º salário para os professores da Rede Municipal de Educação.

 

O feito histórico no Estado e no Brasil, motiva quem dedica a vida para dar aulas nas escolas públicas. Mas, segundo Waldeli, a maior alegria é dele, em poder garantir um reconhecimento digno aos professores.

 

Por lei, os trabalhadores têm direito apenas ao 13º salário no final do ano. Mas Waldeli iniciou a prática de pagamento de “bônus” aos educadores logo no início da sua administração, com o pagamento 14º.  Em 2020, chegou até o 18º pagamento e com isso, bateu seu próprio recorde.

 

“Fico feliz em poder fazer esse feito, bate o meu próprio recorde ao pagar o 14º, 15º, 16º, 17º e 10% do 18º salário aos professores da REME. Tudo isso fora o salário do mês, e as férias. Sem dúvidas nossos educadores viram suas contas bancarias engordarem nesse final de ano”, disse o ex-prefeito.

 

Em 2017, quando pagou o 16º salário e parte do 17º aos professores, Waldeli chegou a ser destaque de uma matéria do Jornal Nacional, exibida para todo o país, como exemplo na administração dos recursos para a educação.

 

E para afastar qualquer crítica a respeito do pagamento “a mais” aos educadores, Waldeli explica que isso é uma forma de reconhecimento ao trabalho dos profissionais que tanto contribuem para a educação no município e que o pagamento só é possível graças à gestão responsável dos recursos destinados pelo Fundeb (Fundo para a Manutenção e o Desenvolvimento da Educação Básica).

 

A quantidade de recursos enviados pelo Fundeb ao município é baseada no número de alunos da educação infantil e do ensino fundamental.

 

Na verdade, o dinheiro extra vem da redução do número de faltas e afastamentos dos docentes. Motivados, eles faltam menos e, o dinheiro que seria utilizado pela prefeitura para pagar professores substitutos, acaba virando o bônus pago ao final do ano, que chega a ser 6 vezes o valor do salário mensal.