Para polícia, adolescente sofreu mal súbito e morreu asfixiado em freezer Laudo necroscópico apontou a causa da morte como “indeterminada”, mas evidências não apontam para crime - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 9 de março de 2021

Para polícia, adolescente sofreu mal súbito e morreu asfixiado em freezer Laudo necroscópico apontou a causa da morte como “indeterminada”, mas evidências não apontam para crime

 Ainda com o inquérito para concluir, a Polícia Civil praticamente descartou a possibilidade de assassinato, latrocínio ou suicídio na investigação da morte do adolescente José Eduardo Alves Gonçalves Rosa, de 15 anos, encontrado dentro de um freezer no quintal da casa da avó.


O laudo necroscópico apontou a causa da morte como “indeterminada”. Isso pode acontecer por conta do avançado estado de decomposição do corpo da vítima, o que foi agravado por estar em local fechado, segundo informou a delegada responsável pelo caso, Elaine Benicasa, da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).  A polícia, porém, eliminou as suspeitas de crime ou suicídio e por isso, a principal tese é de que José tenha sofrido um mal súbito ao entrar no freezer “para se refrescar”. “Fizemos uma investigação profunda”, informou.


Conforme detalhou a delegada , a morte teria ocorrido no domingo (11 de janeiro) por volta das 18h e o corpo só foi encontrado quase 24 horas depois. “Foi feito todo um trabalho pericial no local, capacete, no freezer, exame de luminol em todo imóvel para ver se havia sangue e que não foi constatado”, afirmou.   A suspeita de suicídio também foi descarta porque havia uma carne descongelando na pia, o que mostra que o adolescente pretendia preparar algo para comer.  ele era super pra cima, não há nenhuma conversa dele que dizem o contrário. Levava palavras boas, aliado ao fato de todos falarem que ele era um menino bom, bacana”, relata, explicando ainda que no notebook também não foi encontrado que possa remeter a lamentações, revoltas, despedidas ou estes desafios, voltados a crianças e adolescente, que acabam mal.


O laudo apesar de não identificar a causa da morte traz considerações, como por exemplo, a constatação de que não há lesões no corpo. Na residência nada foi subtraído, descaracterizando também a possibilidade de um latrocínio.


“José entrou para se refrescar e por algum motivo veio a desmaiar, morrendo asfixiado.”, acredita a delegada Elaine. 



Ele foi encontrado com os dedos dos pés e das mãos enrugados, o que comprova que estava imerso em água, segundo laudo. A perícia também fez teste para saber quanto tempo o freezer leva para esvaziar e foi constatado que em 20 minutos o equipamento "deixa de ser piscina" porque a água vaza por um pequeno buraco.