De muita fé, Balu deixou a família aos 43, mas marcou as filhas para sempre Ele perdeu a luta contra a covid-19 em 26 de março, após internação no Hospital Regional - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 13 de abril de 2021

De muita fé, Balu deixou a família aos 43, mas marcou as filhas para sempre Ele perdeu a luta contra a covid-19 em 26 de março, após internação no Hospital Regional

 “Hoje, recordando do meu pai, vem muito a figura dele com a igreja. Vejo também a figura de um marido, um pai e um filho sempre muito presente”. A lembrança de Eduarda Duarti Cacho, 22 anos, tem nome: Flávio da Costa Cacho, 43 anos, pai dela. Ele perdeu a luta contra a covid-19 em 26 de março, quando o óbito foi confirmado no Hospital Regional. De lá para cá, a família que ele sustentava se vira como pode e tem o apoio da empresa onde ele trabalhou por anos. Amado e querido por colegas e amigos, Balu, como Flávio era chamado, virou lembrança boa, de alegria e entusiasmo com a vida. “Meu pai era uma pessoa que não tinha tempo ruim, não o via triste, estava sempre sorrindo. Essa é a lembrança dele, alguém feliz, sorridente que colocava todo mundo pra cima”, relata a filha.


Pedagoga, Eduarda conta que horas antes do pai ser intubado, a esperança era de vê-lo se recuperar e que, inclusive ele, mesmo com medo, tentava mostrar tranquilidade. “Nossa última conversa foi antes dele intubar, ele dizia que ia ficar bem e que intubar era pro bem dele. Também disse que nos amava. Ele falou querendo nos passar tranquilidade, mas senti qye a voz dele era de medo”, contou.