Na frente de diretor, preso pula do telhado e foge de presídio em MS Caso ocorreu no dia 24 de março no momento em que diretor orava com outros presos - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Na frente de diretor, preso pula do telhado e foge de presídio em MS Caso ocorreu no dia 24 de março no momento em que diretor orava com outros presos

 Preso fugiu do Estabelecimento Penal de Regime Semiaberto e Aberto de Dourados (a 233 km de Campo Grande) no momento em que o diretor da unidade, José Nicácio do Nascimento, comandava grupo de oração com outros 15 internos.


Leonardo Marques da Silva escalou o telhado do presídio, passou sobre o espaço onde ocorria o culto improvisado, pulou no pátio da unidade, subiu no alambrado e correu para o mato. Segundo denúncia feita ao Ministério Público e à Polícia Civil, Nicácio não fez nada para alertar sobre a fuga e manteve o grupo de orações por mais meia hora. No dia 30, foi denunciado à ouvidoria do MP e está sendo investigado Polícia Civil. O delegado Francis Tadano, da 2ª Delegacia de Polícia, já esteve no presídio para requisitar as imagens das câmeras, que serão anexadas ao inquérito.


Imagens das câmeras de segurança  mostram o momento em que José Nicácio reúne 15 presos do setor de reciclagem e os conduz até a área coberta, anexa ao presídio. Isso ocorre às 13h18.


Às 13h44, o preso Leonardo Marques da Silva aparece nas imagens, em cima do telhado. Embaixo, José Nicácio orava com os outros presos, formando uma roda, sentados. Leonardo pula no chão, se surpreende com o grupo, mas segue com o plano e escala o alambrado. Às 14h21, as imagens mostram Nicácio e os presos voltando para o setor de reciclagem. A denúncia anônima feita ao MP revela que além da suspeita de prevaricação, o diretor do presídio contrariou medidas de distanciamento adotadas pelo sistema penitenciário para evitar propagação da covid-19, já que reuniu 15 presos para momento de oração.


Leonardo foi recapturado por agentes penitenciários, informados sobre a fuga pelo sistema de monitoramento. A denúncia revela que os agentes não foram informados da fuga pelo diretor do presídio, “que ficou inerte à situação”. pela assessoria de imprensa, a Agepen informou que o Estabelecimento Penal de Regime Semiaberto, Aberto e Assistência ao Albergado de Dourados é unidade de segurança mínima. “Em relação ao caso de evasão, logo após o ocorrido foi realizado um comunicado para o Poder Judiciário, informando as circunstâncias dos fatos. O interno foi recapturado no mesmo dia e já foi solicitada a medida cautelar de regressão de regime, aguardando apenas a determinação judicial para a devida providência”, afirma a Agepen.


Ainda segundo a agência, a unidade penal é destinada a presos condenados do sexo masculino, que cumprem pena em regime semiaberto e aberto, constituída por muros, alambrados e sem guarda externa.


Outro caso – No início de fevereiro do ano passado, a Corregedoria da Agepen abriu investigação contra José Nicácio do Nascimento por suposta prevaricação em episódio envolvendo a apreensão de celular com presos do semiaberto, em setembro de 2019.


A denúncia foi feita à Polícia Civil pelos próprios policiais penais que não quiseram acatar a ordem do diretor, de liberar os presos flagrados com celular.


Nicácio alegou que os presos do semiaberto estavam fora do presídio, por isso poderiam usar o celular. Os servidores, no entanto, contestam o argumento e afirmam que os presos estavam trabalhando na horta do próprio presídio, por isso deveriam seguir as regras que proíbem uso de celular.


Dois agentes foram colocados à disposição depois do ocorrido. A denúncia foi registrada por sete agentes no dia 27 de novembro, na 2ª Delegacia de Polícia Civil. Até agora o caso segue na Corregedoria da Agepen.