"Não há porque tirar as vacinas da Capital e levar para as fronteiras", diz Trad - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 26 de junho de 2021

"Não há porque tirar as vacinas da Capital e levar para as fronteiras", diz Trad -

 O envio de 150 mil doses  da vacina contra covid da marca Janssen para imunizar exclusivamente os 13 municípios do Estado que fazem fronteira com outros países também não "desceu" para o prefeito, Marquinhos Trad (PSD)."Não há porque tirar as vacinas de Campo Grande e levar para as fronteiras. Conversamos com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e levamos o nosso o inconformismo ao governo do Estado", destacou o chefe do Executivo na manhã deste sábado (26) durante visita ao polo de vacinação do Albano Franco.

Ele ainda destacou a importância da vacinação para melhorar os índices da pandemia na Capital. "Evidentemente que vamos flexibilizar os decretos conforme as condições da nossa cidade."


No dia 10 de junho uma mobilização da população e de políticos chamada "Vacina Geral MS" ganhou as redes no intuito de sensibilizar o governo federal para priorizar o envio das doses da Janssen ao Estado que é o mais avançado na taxa de aplicação das doses e passava por um colapso no sistema de saúde.


No entanto, as doses vieram apenas para um estudo do VEBRA COVID-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19) que vai pesquisar a efetividade e impacto da vacinação em massa na região de fronteira.


O restante dos municípios ficaram "chupando dedo" e alegam desigualdade no tratamento já que vão ter que aguardar as doses enviadas pelo Ministério da Saúde em outras remessas de lotes para concluir a imunização da sua população.


Será avaliado o impacto de vacinação em massa, em pessoas entre 18 a 50 anos em 13 cidades de fronteira do estado de Mato Grosso do Sul, após 14 dias de dose única da Janssen. O objetivo é estimar efetividade de um regime de uma dose da Janssen redução de riscos de forma sintomáticas, graves e óbitos por COVID-19 após 14 dias.


Os municípios que vão fazer parte do estudo de vacinação em massa são Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário. -