Programa Farmácia Solidária é aprovado por unanimidade e legislativo jardinense envia projeto ao executivo municipal - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Programa Farmácia Solidária é aprovado por unanimidade e legislativo jardinense envia projeto ao executivo municipal

 


A Câmara de Vereadores de Jardim aprovou por unanimidade, na manhã desta terça-feira (22), o Projeto de Lei Legislativo 12/2021, que dispõem sobre a criação do Programa Farmácia Solidária no município jardinense, de autoria do vereador Eduardo Nardon (PP).

 

Tendo como relator o vereador César Nogueira (PSDB), da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final, o texto destaca que o projeto de lei tem abrangência social, pois irá favorecer a população de baixa renda, sendo organizado sob a supervisão da Secretaria Municipal de Saúde, que tomará todas as medidas necessárias para seu desenvolvimento através da organização e distribuição de medicamentos e/ou equipamento médico hospitalar, provenientes de doações da comunidade, órgãos da sociedade civil, clubes de serviços, associações médicas e hospitais, e quaisquer outros meios legais.

 

Ao comentar o ato, Nardon disse que estava bastante feliz com a aprovação dos colegas, ocasião em que agradeceu pela confiança e parceria, destacando que isso só irá beneficiar ainda mais a comunidade que necessita de medicamentos, e muitas vezes não tem condições de adquirir em drogarias particulares. “A Farmácia Solidária vem com o objetivo de contribuir com pessoas de baixa renda que necessitam de certos medicamentos e muitas vezes não dispõem de nenhum recurso para adquiri-los, colocando em risco a sua própria saúde. Muito obrigado aos nobres pares pela aprovação deste projeto e tenho certeza de que teremos grandes parceiros nessa jornada pelo bem-estar da nossa comunidade, afinal, nos propomos a fazer sempre mais e melhor por todos os jardinenses”, enfatizou.

 

O processo segue agora para sanção da prefeita Dra. Clediane Matzenbacher, e aguarda a publicação em forma de Lei Municipal, caso a chefe do executivo aprove o referido programa social.

 

Texto e Foto – Paulo Abílio