Chapadão do Sul decreta “lockdown” de 4 dias e manda população estocar alimentos - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 21 de julho de 2021

Chapadão do Sul decreta “lockdown” de 4 dias e manda população estocar alimentos -

 A Prefeitura de Chapadão do Sul, a 321 km de Campo Grande, decretou lockdown de quatro dias e já orientou a população a estocar alimentos,. A partir de sexta-feira (23), até a próxima segunda, estará em vigor decreto que determina fechamento até de supermercados, atividade considerada essencial. - A cidade está em bandeira vermelha, nem é o grau mais alto do Prosseguir, mas a justificativa do prefeito João Carlos Krug (PSDB) é de que somente na semana passada o município registrou nove óbitos relacionados à doença. Também apontou que houve relaxamento por parte da população. -Segundo o prefeito, nem mesmo atividades de entrega serão permitidas pelos supermercados durante o período. “A gente entende que são essenciais, mas ouvimos o nosso comitê de covid e avaliamos que seja fechado. Fecha conveniência, mas mercado vende as mesmas coisas e está aberto. Então vamos fazer para todos”, explica.


O decreto publicado na terça-feira aponta que também ficam suspensas de 21 a 27 de julho festas, como aniversários, casamentos, batizados, reuniões familiares, e atividades esportivas, entre elas atividades físicas, como academias, estúdios ou quadras, campos e ginásio de esportes.


A partir de sexta-feira, ficam proibidas atividades em escolas, comerciais, entre elas supermercados, bares e conveniências, empresariais, de prestação de serviços, de serviços públicos, esportivas, recreativas e religiosas. Estão liberados comércios de fornecimento de medicamentos e de combustíveis, construção civil, agropecuárias e produção de derivados da cana-de-açúcar e milho. Restaurantes estão autorizados a funcionar, mas somente no sistema de delivery.


A Prefeitura também determinou multas para quem cometer infrações. Os valores vão de mil a R$ 10 mil para pessoas físicas e de R$ 5 mil a R$ 20 mil para estabelecimentos.


Revolta – O decreto revoltou representantes do comércio. O presidente da Amas (Associação dos Supermercados de Mato Grosso do Sul), Edmilson Verati, anunciou que vai acionar a Justiça contra o lockdown de quatro dias em Chapadão do Sul. A entidade tem 7 supermercados associados na cidade. -