Contador furtava envelopes de dinheiro de fiéis e surrupiava R$ 2 mil por semana Contador trabalha há 3 anos na igreja e levou cerca de R$ 20 mil em dois meses - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 7 de julho de 2021

Contador furtava envelopes de dinheiro de fiéis e surrupiava R$ 2 mil por semana Contador trabalha há 3 anos na igreja e levou cerca de R$ 20 mil em dois meses

 Contador de 60 anos foi preso em flagrante ao furtar seis envelopes com dinheiro da oferta da Igreja Comunidade Cristã Aliançados, no bairro Bandeirantes. Ele confessou que surrupiava dinheiro há pelo menos dois meses e que teria embolsado de R$ 18 mil a R$ 20 mil durante o período. O furto foi descoberto ontem de manhã e o contador preso. Hoje, deve ser levado à audiência de custódia, pela Justiça de Campo Grande, que irá definir se o flagrante será convertido ou não em prisão preventiva. O boletim de ocorrência foi registrado na 6ª delegacia de Polícia Civil pelo advogado da igreja, que havia acionado a PM (Polícia Militar). Ele fala que há uns meses, a diretoria da igreja havia notado diferença dos valores no relatório da contabilidade, sendo que o conferido era o   menor que o lançado.


Ontem de manhã (6), outra funcionária viu quando o contador retirou alguns envelopes que estavam sendo conferidos e os escondeu. Ela o questionou, o homem ficou nervoso, dizendo que a colega estava fazendo acusações. O advogado foi chamado e as câmeras de segurança foram checadas, onde se viu quando ele retirou seis envelopes.


Depois de ser flagrado, o contador confessou o furto e assumiu que vinha fazendo isso há vários meses. Como a contabilidade era feita semanalmente, acredita que furtava de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil, sendo usado para depósito na conta bancária particular e pagamento das contas pessoais do contador.


O homem trabalhava há 3 anos como assistente administrativo na igreja e disse que estava cometendo os furtos há cerca de dois meses. Calcula, sem muita precisão, que deve ter surrupiado de R$ 18 mil a R$ 20 mil o que indicava que os envelopes somados tinham mais do que a média relatada por ele. O contador diz que já responde processo por apropriação indébita.