Senador Nelsinho Trad conquista R$ 4,4 milhões para Ponta Porã, vacinas extras da Janssen e fala sobre vida política em live - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Senador Nelsinho Trad conquista R$ 4,4 milhões para Ponta Porã, vacinas extras da Janssen e fala sobre vida política em live

 O senador Nelsinho Trad (PSD/MS) conquistou, nesta semana, R$ 799 mil reais do Ministério da Saúde para reforma de quatro unidades básicas de saúde para Ponta Porã. Os valores foram divulgados, na noite desta segunda-feira, no fim da live para o Líder News do município, ao informar que encaminhou R$ 4,4 milhões de recursos federais durante o seu mandato parlamentar para Ponta Porã.


As unidades que terão os recursos são: a UBS Doutora Nislaie Colman, na Vila Renô, a USB Geraldo Garcia, no Assentamento Itamarati, a UBS Enfermeira Eliza Medina Barreto, no Bairro São Rafael e UBS Enfermeira Zeneida Terra da Siqueira, no Jardim Ivone.

Durante a live, o senador Nelsinho Trad esclareceu sobre a vinda de 42.897 doses de vacinas Janssen para Ponta Porã que está entre os dez municípios que fazem fronteira com o Paraguai e receberam os imunizantes para ocorrer o bloqueio epidemiológico na região fronteiriça. “O ministro Marcelo Queiroga entendeu que seria a alternativa para impedir a entrada de uma nova variante vindo dos países vizinhos”, comentou.

Política

O PSD deverá apresentar candidatura própria em cenário nacional e em Mato Grosso do Sul. “Com muita liberdade, eu digo que o Bolsonaro reza pelo Lula e o Lula pelo Bolsonaro. Os dois querem disputar entre eles, para que uma terceira via não leve as eleições”, disse.

O senador Nelsinho Trad, como presidente regional do PSD em Mato Grosso do Sul, destacou que o partido terá candidato ao Governo do Estado. Por se tratar, neste momento, do favoritismo do prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad, ele deverá ser o candidato se renunciar ao cargo até março de 2022. Uma escolha, segundo o senador Nelsinho Trad, difícil e solitária. “Eu me lembro, quando decidi ser candidato a deputado e tive que renunciar ao mandato de vereador e de presidente da Câmara Municipal. Depois, quando decidi ser prefeito renunciar o mandato de deputado estadual, não foi uma decisão fácil”, disse.​

ASSECOM