Marido passou a noite lavando casa e pagou por fossa para enterrar a mulher no quintal em MS - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 7 de agosto de 2021

Marido passou a noite lavando casa e pagou por fossa para enterrar a mulher no quintal em MS

Cenas macabras de sangue em cima da cama, respingos na parede do quarto, objetos pessoais jogados dentro de uma lixeira: esse foi o cenário encontrado pelos policiais que prenderam nesta quarta-feira (4) Pabilo Santrin, de 34 anos, que acabou confessando na delegacia o feminicídio de Laís de Jesus Cruz. Ela estava desaparecida e o corpo foi encontrado em uma fossa do quintal da casa onde morava, com o marido em Sonora, a 361 quilômetros de Campo Grande. Inicialmente, Pabilo negou crime, mas diante das evidências acabou confessando na delegacia. A mãe de Laís procurou a polícia desconfiada do sumiço da filha, já que havia registros de boletins de ocorrência de violência doméstica contra o marido. Quando os policiais chegaram encontraram na cama do casal, sinais de sangue, como também respingos na parede. O cenário macabro ainda iria revelar que objetos pessoais de Laís como batom, bijuterias e sandálias estavam jogadas em uma lixeira. Sangue também foi encontrado em um pano e em cópias de curriculum. O cheiro forte de água sanitária denunciava, que a casa havia passado por um processo pesado de limpeza levantando mais suspeitas para Pabilo. Testemunhas contaram ter ouvido durante toda a noite, o homem limpando a residência, já que o barulho de água era constante. Já o buraco de o corpo foi encontrado, Pabilo disse ter contratado uma pessoa para furar uma fossa. O contratado prestou depoimento e disse que não sabia de crime nenhum, que só furou a fossa. O celular de Laís foi encontrado em uma caixa na lavanderia quebrado. Pabilo usou o telefone da vítima para mandar mensagens na tentativa de despistar a polícia, “Tchau Sonora. Aqui não volto nunca mais. Vou ficar off das redes sociais por um tempo”, foi escrito. Fios de cabelo da vítima também foram encontrados em um par de luvas, que o autor disse ser usado por Laís. Ele foi preso pelo crime após chamar os policiais reservadamente e confessar o crime após negar por diversas vezes ter cometido o feminicídio. Ele não informou por qual motivo matou a mulher. Segundo a polícia, a vítima já tinha registrado boletim de ocorrência por violência doméstica. O caso é tratado até o momento como feminicídio e ocultação de cadáver.