HOME AMPLA VISÃO DESTAQUES POLITICA AMPLA VISÃO| RUMO AO SENADO, TEREZA CRISTINA DEIXARÁ O DEM AMPLA VISÃO| Rumo ao Senado, Tereza Cristina deixará o DEM - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

HOME AMPLA VISÃO DESTAQUES POLITICA AMPLA VISÃO| RUMO AO SENADO, TEREZA CRISTINA DEIXARÁ O DEM AMPLA VISÃO| Rumo ao Senado, Tereza Cristina deixará o DEM

1-ESQUECIDO: Falecido em dezembro de 2019 o, o ex-vereador, ex-prefeito e ex-senador Juvêncio C. da Fonseca (MDB) ainda não foi homenageado pelo poder público, ao contrário, por exemplo, de Lúdio Martins Coelho (PSDB) cujo nome batiza uma avenida da capital. A viúva Suely Brandão abordou o fato com o ex-vereador Elias Dib (MDB). FABIO PERÓ: Claro, as ações da prefeitura e do Governo Estadual pesaram para Campo Grande chegar ao título da capital mais segura do país. Neste contexto merece destaque o delegado Fabio Peró (Garras) no combate ao crime organizado. Sua atuação de repercussão nacional (Operação Omertá) ‘despercebida’ na Câmara Municipal e Assembleia Legislativa, onde autoridades e cidadãos de valor são homenageados. VALE A PENA: O poeta Fernando Pessoa dizia: ‘tudo vale a pena desde que a alma não seja pequena’! Aí emendo: “Tudo vale a pena desde que a mala não seja pequena. Casos do ex-ministro Geddel Vieira (MDB) do Governo Temer e do ex-assessor Rocha Loures (MDB) ambos libertos apesar de flagrados com milhões de reais em malas que ficaram famosas. ‘JURASSIC PARK’: Esqueçam os 20 milhões de assassinados por Josep Stalin e os 70 milhões de mortos por Mao Tsé Tung. Incrível, o Partido Comunista do Brasil integra a ‘Frente Ampla pela Democracia’ também no MS. Estranho, pois no MS. - em todas as eleições, os candidatos do PC do B são rejeitados. Uma piada: “Comunistas falando em democracia” – Conta outra, conta! NO ALTAR: A fusão do DEM (28 deputados) e o PSL (53 deputados) caminhando e resultará em mais grana do Fundo Partidário e maior tempo no radio e TV. Pequeno na estatura física, mas gigante nas costuras políticas, ACM Neto acha que assim a terceira via presidencial será viabilizada. O senador Rodrigo Pacheco, da poderosa Minas Gerais seria o nome. Uaiiii ! DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa (PSDB): recebeu do Governo e pautou projetos como da redução do ICMS da energia; participou da recepção ao presidente da Gol Aviação na Casa Civil; prorrogou medidas restritivas na Casa até 15 de outubro. José Teixeira (DEM): conhecedor do segmento, voltou a defender o agronegócio mostrando sua importância econômica e social para o país e Estado; Lucas de Lima (Sol): Autor de projeto instituindo resgate e tratamento veterinário pelas concessionárias dos animais e aves silvestres ao longo das rodovias no MS. Amarildo Cruz (PT): atento ao programa de vacinação anti Covid-19 aos trabalhadores em contato com o público no dia a dia de suas atividades. SALTO ALTO... Esperava-se muito mais dela. Divorciada do MS, a senadora Simone Tebet (MDB) reaparece sob holofotes da CPI da Covid. Mas isso não basta, segundo as pesquisas para o Senado, onde ela perde feio para a ministra Tereza Cristina (DEM) e a deputada Rose Modesto (PSDB). Também na política as aparências as vezes enganam. COMPARANDO: O senador Nelsinho Trad (PSD) parece um veterano no Senado. As notícias mostram sua atuação incessante, liberando verbas para a capital e interior. Na outra ponta Simone esteve praticamente reclusa no gabinete nestes anos de mandato e perde espaço até no MDB local. E sua posição contra Planalto só piora as coisas. Nosso Estado é conservador. HISTÓRIA: Ex-prefeito de Campo Grande e ex-governador de Mato Grosso, Arnaldo Estevão de Figueiredo cursou agrimensura em Pelotas (RS) para onde ia de navio. Em 1917 demarcou os distritos de Ribas do Rio Pardo e Jaraguari. Governador, inaugurou a Estrada de Ferro Noroeste com o presidente Gaspar Dutra. Renunciou ao Governo para tentar o Senado e perdeu para Silvio Curso. Faleceu em 1991 aos 92 anos de idade. DUAS JUSTIÇAS: A opinião pública é uma, baseada nos costumes e valores morais. É a voz do povo. A outra - é a técnica - alicerçada em códigos e nem sempre reflete a verdade. Portanto, essas decisões do STF beneficiando os apenados da Operação Lava Jato já causa indignação popular. A ‘inocência’ do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB) é um exemplo. Vêm aí mais casos escabrosos. HÉLIO PELUFO: Bom o papo com o prefeito (PSDB) de Ponta Porã. Arejado, acha que sua cidade é maior que o estigma de violenta (por conta do lado paraguaio). Lembra que a região é fortíssima no agronegócio. Eleito por mais de 90% dos eleitores, ele tem compromisso de concluir o mandato e é grato aos investimentos do Governo Estadual na sua cidade. Beleza! AÇÕES PARLAMENTARES: Barbosinha (DEM): Enalteceu o projeto do Governo de reestruturação dos policiais e bombeiros militares. Antônio Vaz (REP) seu projeto cria o programa do Jovem Doador de sangue e medula; proposta incentiva a energia solar; cria o Abril Azul de conscientização do autismo: Lídio Lopes (Patri): ativo no lançamento na 24ª. Conferência da Unale na capital nos dias 24/25/26 de novembro. Capitão Contar (PSL): aprovado seu projeto prevenindo e combatendo a depressão; é contra o projeto do Governo reduzindo a autonomia dos fiscais; . Marçal Filho (PSDB): Tem projeto instituindo campanha permanente de doação de órgãos; manifestou-se pela defesa do agronegócio em nosso Estado. ‘SÃO MICHEL’: A agua benta do ex-presidente Michel Temer (MDB) é forte. Não se fala mais do crime de responsabilidade do presidente Bolsonaro no 7 de setembro. Juridicamente, foi estranho o cessar fogo após uma ‘conversa republicana’ (de 4 horas) entre o ministro Alexandre de Moraes e o ministro da justiça Anderson Torres. Temer: pizzaiolo milagroso. SEM RUMO: São 14 os prefeitos do Democratas e preocupados com o futuro da sigla por aqui que mais parece um ajuntamento de pessoas, onde cada um cuida de si. Já é reflexo do ambicioso presidente nacional ACM Neto focado no próprio umbigo. Um balão de ensaio, pois ele sabe que no Brasil, (a exemplo daqui), não há espaço para 3 candidaturas. PREVISÕES: A ministra Tereza Cristina deve deixar o DEM e procurar abrigo numa sigla alinhada ao Governo Estadual. Pode ser o PP ou o PL. O desafio será manter o vínculo com o Palácio do Planalto ficando ao lado do governador Reinaldo (PSDB). Ela sabe: precisará de recurso$ para montar um bom time de candidatos à Assembleia Legislativa e Câmara Federal. PERGUNTA-SE: Em tempos de fusão DEM - PSL questiona-se as identidades entre suas lideranças. Como o ex-ministro Mandetta conviveria com os defensores ferrenhos do presidente Bolsonaro? Neste contexto não há espaço para o ex-ministro. Se tentar à Câmara terá a concorrência do deputado Fabio Trad (PSD) e optando pela Assembleia Legislativa terá o vereador Otávio Trad (PSD) – que já é candidato declarado. PODER DE FOGO: O governador Reinaldo é o grande influenciador destas eleições. Vai bem, cacifado, atende deputados e prefeitos sem discriminação partidária. Neste ritmo sua avaliação positiva é progressiva. Com isso atrairá alianças e apoiamentos de lideranças municiais ( prefeitos e vereadores) para o candidato Eduardo Riedel (PSB) e Tereza Cristina. DEPUTADOS AÇÕES: Mara Caseiro (PSDB): pede viatura policiais para Porto Marumbi; requer auxílio para a APAE de Naviraí; declarada de utilidade pública o Centro de Equoterapia de Aparecida do Tabuado. Pedro Kemp (PT): Focado na defesa dos trabalhadores do Governo Estadual que atendem na educação, saúde e segurança contra o Covid. Neno Razuk (PTB): Destinou R$40 mil à saúde de Bonito; enaltece a volta da Caravana da Saúde repaginada; pede ponto de concreto para zona rural de Juti Evander Vendramini (PP): preocupado com ameaça do desemprego de 500 mil trabalhadores pelo autosserviço dos postos de combustíveis; reforça necessidade de melhorias aos povos indígenas de MS. Gerson Claro (PP): esteve na MS. Gás em tratativas de seu projeto de canalização do gás para Sidrolândia; sempre em contato com entidades civis e lideranças de assentamentos de Sidrolândia e região. COMPLICAÇÕES: O contato social vem exigindo cuidados dos políticos. As mortes dos deputados Onevan de Matos (PSDB) e Cabo Almi (PT) advertiram: a morte é democrática, não discrimina! Mas os deputados confessam sentirem a falta do público nas sessões, dos abraços e de olhos nos olhos. “O exercício da política exige alma, coração e proximidade” – lembra o deputado Lucas de Lima. TIRA E PÕE: A última votação na Câmara Federal murchou os poderes do Tribunal Superior Eleitoral quanto as regras do pleito de 2022. Os deputados cuidam do próprio umbigo, é claro. O que valeu em 2018 deve ir para o brejo. Não creio que o Senado rejeite as mudanças da Câmara, pois elas visam beneficiar a versátil classe política. NOVOS TEMPOS: Assim como os cobradores de ônibus foram descartados, pode chegar a vez dos frentistas dos postos de combustíveis, São 500 mil deles que poderão perder o emprego. Pensando nisso o deputado Evander Vendramini (PP) quer a bancada federal do partido votando contra a MP que tramita na Câmara Federal. Uma parada indigesta. Concorda? INCERTEZAS: O processo do ’Marco Temporal’ sem prazo para ser julgado pelo STF preocupa produtores rurais aqui no Mato Grosso do Sul. O empate (1 x 1) até aqui mostra que a questão não é simples. Há muitos interesses em jogo e interpretações diferentes da Constituição Federal sobre o assunto. Essa guerra parece não ter fim. Somos o povo que berra o insulto e sussurra o elogio. (Nélson Rodrigues)