Acusados por decapitar jovem a mando do PCC são condenados a 105 anos de prisão - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Acusados por decapitar jovem a mando do PCC são condenados a 105 anos de prisão

Durou mais de 18 horas o julgamento de nove réus do PCC (Primeiro Comando da Capital), acusados de participarem do “Tribunal do Crime”, de Joyce Viana de Amorim, decapitada em 2018, em Campo Grande. A decisão, que saiu na madrugada desta quarta-feira (27), condenou sete réus a 105 anos de prisão, somadas as penas. Dois acusados foram absolvidos pela Justiça. O julgamento na 1ª Vara do Tribunal do Júri começou às 8 horas desta terça-feira (26) e teve esquema reforçado de segurança policial, por conta do número de réus e por envolver briga entre facções criminosas. Às 2h15 desta quarta, o juiz Carlos Alberto Garcete, titular da 1ª Vara, encerrou o julgamento, após leitura da sentença. Isabella dos Santos e Lucas da Silva foram absolvidos pela Justiça. Lucas era representado pelo defensor público Rodrigo Sochiero, que tentou, durante a defesa, estabelecer “correta responsabilização daqueles que merecem alguma responsabilização”. Segundo ele, seria preciso estabelecer exatamente o papel de cada um deles no crime. Miriã Paschuin e Danilo de Souza Brito tiveram as maiores penas. Foram condenados, cada um, a 23 anos. Davi Miguelão, a 19 anos de prisão; Ghian Lucas Martinez, a 15 anos; Eloir Anjos de Oliveira, a 12 anos e 6 meses; Welisson Silveira, a 9 anos e Marcos Felipe Dias Lopes, também defendido por Rodrigo Sochiero, teve a menor pena, de 4 anos de prisão. As condenações dos sete réus foram por homicídio qualificado, organização criminosa, cárcere privado e ocultação de cadáver. A execução – Após 10 dias desaparecida, Joyce Viana de Amorim, 22 anos, foi encontrada com as mãos amarradas e sem a cabeça, na manhã do dia 14 de maio de 2018, em estrada vicinal que dá acesso à Avenida Wilson Paes de Barros, entre os bairros Santa Emília e Nova Campo Grande.