Encontrado morto teria sido pisoteado dentro de casa - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Encontrado morto teria sido pisoteado dentro de casa -

Manoel Vilas Boas Junior, de 49 anos, encontrado morto no fim da manhã desta quarta-feira (6) no Bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, teria sido agredido por um homem conhecido como "Bugão" na noite anterior.À polícia, uma vizinha da vítima contou que por volta das 18h de ontem (5) conversava com seu marido e Bugão quando Manoel chegou em casa, que fica em um condomínio de dois imóveis. Pouco tempo depois ela entrou para dentro de sua residência. Em seguida, o suspeito foi até a casa de Manoel, momento em que o casal começou a escutar uma discussão. Quando saíram para ver o que era, viram Bugão pisando várias vezes no rosto de Manoel que já estava no chão. Ainda segundo o registro policial, o casal retirou o autor do local, porém ele teria entrado novamente na casa da vítima e a agredido novamente. Quando saiu, Bugão teria falado: "Eu já falei com ele e agora ele ja está tudo resolvido", diz o relato. Conforme os primeiros policiais militares que chegaram ao local, Manoel estava bastante ferido, no chão, de barriga para cima e com sangramentos no nariz e boca. Quem encontrou o cadáver foi Célio Roberto da Silva, de 51 anos, que além de ser filho do dono da quitinete alugada por Manoel Vilas Boas, como é conhecida a vítima, trabalha na oficina onde o homem prestava serviços quase que diariamente. O colega desconfiou que algo de errado havia acontecido, porque Manoel não foi trabalhar nesta manhã. Ele conta que recebeu aviso dos vizinhos dizendo que ouviram barulhos estranhos vindo da casa e uma mensagem de alguém afirmando que achava que o morador da quitinete estava passando mal. Por volta das 8h, foi ao local, mas como ninguém atendeu, decidiu voltar mais tarde. Saindo na oficina na hora do almoço, Célio passou novamente pela casa de Manoel e desta vez, resolveu entrar. Ele encontrou o corpo e acionou a Polícia Militar. Caso foi registrado na Segunda Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande como homicídio simples. -