Dos afastamentos por covid na Capital, 60% são de técnicos de enfermagem - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sábado, 20 de novembro de 2021

Dos afastamentos por covid na Capital, 60% são de técnicos de enfermagem -

Dados do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) mostram que em todo ano de 2020, 518 trabalhadores foram afastados de seus empregos devido doenças causadas por vírus ou covid-19. O número faz parte do Observatório do MPT (Ministério Público do Trabalho), que revela também 263 afastamentos somente em Campo Grande.Os números se baseiam na concessão de benefícios previdenciários por doenças classificadas oficialmente na CID (da sigla em Inglês, Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde) B34, que são as causadas por vírus de localização não especificada) e U07, que é a identificação para a covid-19. - Conforme o observatório, o afastamento decorrente de doença por vírus está incluído junto aos dados de covid-19, porque até então, as licenças por esse tipo de enfermidade eram quase inexistentes, mas houve aumento no ano passado, o que chamou a atenção das autoridades trabalhistas. “A hipótese que os dados sugerem, além do tempo necessário ao diagnóstico, é a de que, dada a falta de orientação/taxonomia precisa quanto à notificação, os registros foram feitos com o uso de CIDs existentes, alguns dos quais, a exemplo do B34, até então nunca ou apenas raramente haviam sido utilizados”, diz a análise. -Em Campo Grande, segundo o observatório, denominado de Segurança e Saúde no Trabalho, elaborado pelo MPT e pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), o afastamento de técnicos de enfermagem representam 60% dos casos, representando 12 profissionais, seguido de 15% de enfermeiros e trabalhadores em auxiliar de enfermagem, auxiliar de escritório e de análises clínicas, técnicos em patologia e fisioterapeutas, representando 5% cada um.