Fila de testagem dobra esquinas e pacientes madrugam no local para fazer exame - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Fila de testagem dobra esquinas e pacientes madrugam no local para fazer exame -

Por volta das 6h30 desta quarta-feira (12), a fila de pacientes com suspeita de covid-19 em centro de testagem no Centro de Campo Grande era grande e dobrava duas esquinas, três horas antes do local abrir. A maior parte da oferta de exames para detecção de coronavírus tem sido feita pela rede pública, por meio do SUS (Sistema Único de Saúde),quem chegou com antecedência ao local para garantir o exame. - O primeiro na fila dormiu no local desde a terça-feira para poder se testar hoje. Morador em situação de rua, Paulo Rodrigues relata que sentiu alguns sintomas gripais – semelhantes ao de covid ou gripe - e que compareceu no centro de testagem em prédio da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) para o diagnóstico. “Não estou me sentindo muito bem e vim fazer o teste.” A unidade funciona a partir de parceria da instituição de ensino com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), das 7h às 17h30, não é preciso agendamento prévio, mas é preciso retirar senha no próprio lugar. - Logo atrás dele, João Sérgio, de 60 anos, que mora nos Estados Unidos, aguardava pela vez de ser testado, mesmo que não tenha sintomas da doença. Ele explica que para entrar novamente no país estadunidense, tem de apresentar exame que comprove a não infecção, e que preferiu realizar o teste na Capital, antes de embarcar para São Paulo. “Como o prazo é de 72 horas, prefiro fazer aqui, logo", completa. - João voltou ao Brasil para ver familiares, durante as férias, e na véspera do retorno, passou no centro de testagem. Ele diz que chegou no local por volta das 4h. A vendedora Dayene Santana, de 34 anos, diz à reportagem que está com sintomas como febre e dor de garganta e no corpo, mas que não foi dispensada no trabalho. “Fui na UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e lá, eles pedem o encaminhamento para o teste. Por causa do trabalho, preciso entregar logo.” Ela conta que foi orientada a continuar trabalhando enquanto o exame não sair e que foi medicada no posto de saúde com dipirona e remédios para a garganta, todos para aliviar os sintomas. -