MS registra 12 mortes em 24h e superlotação nas UTIs - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

MS registra 12 mortes em 24h e superlotação nas UTIs -

Mato Grosso do Sul registrou em boletim epidemiológico deste domingo (30), 12 mortes e 2,9 mil casos de covid. Os registros foram feitos nas últimas 24 horas e podem se tratar de vítimas de período anterior, mas que só entraram na contagem agora. Os dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde) publicados no documento indicam que há 115 pacientes em 113 leitos de terapia intensiva públicos, dedicados ao coronavírus, no Estado, a indivíduos adultos. A média móvel - índice usado para facilitar a visualização de dados e reduzir eventuais subnotificações -, é de aproximadamente 12 mortes e 2,8 mil infecções a cada 24 horas, na última semana. Atualmente, há maior número de infecções diárias em toda a pandemia, recorde quebrado durante vários dias consecutivos, mas a média de óbitos, mesmo que tenha crescido, ainda representa patamar inferior ao pior momento da pandemia, em meados de junho, e não segue, com a mesma intensidade o número de casos. As novas vítimas tinham entre 22 e 89 anos e eram da Anaurilândia, Amambai (2), Campo Grande (4), Ladário, Bodoquena e Terenos. Leitos desativados - No próprio documento, consta que "o excedente da capacidade, quando houver, representa pacientes em leitos covid-19 ainda não habilitados pelo SUS [Sistema Único de Saúde], mantidos pelas secretarias municipais e estadual de saúde." Vale dizer que houve ampla desativação de leitos, no fim de 2021, conforme a demanda hospitalar foi reduzindo. No entanto, a variante Ômicron fez crescer exponencialmente as infecções pela doença, por se tratar de uma cepa mais contagiosa, e, proporcionalmente, isso tem feito crescer o número de casos graves, já que ao menos 26% da população do Estado não tem duas doses da vacina. Desde o início da pandemia, mais de 422,2 mil casos de covid-19 foram confirmados no Estado. Além disso, foram registradas 9.868 mortes pela doença. Há também 343 internados e 22 mil em isolamento.