MS tem 14 mortes por covid e média cresce 6 vezes - - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

MS tem 14 mortes por covid e média cresce 6 vezes -

Mato Grosso do Sul confirmou, em boletim epidemiológico publicado nesta terça-feira (25), 14 mortes por covid-19, registradas nas últimas 24 horas. Com isso, a média móvel de óbitos - de aproximadamente 6,3 vítimas por dia - já é quase seis vezes maior que a verificada no final de 2021, quando a mesma taxa era de 1,3 óbito. - Tal indicador é utilizado para suavizar eventuais subnotificações dos registros, já que as mortes podem demorar alguns dias para serem confirmadas e oficializadas.
 analisa estes dados diariamente e verifica, inclusive, que é o atual momento é mais letal da pandemia desde 2 de outubro do ano passado. Mesmo que a vacinação tenha feito reduzir casos graves (no pior momento da pandemia, havia superlotação geral e a média era de cerca de 56 mortes por dia), a variante Ômicron tem feito com que as infecções cresçam expressivamente em território estadual. Há cerca de 1,7 mil novos casos por dia, número parecido com o segundo trimestre de 2021. Desta forma, mesmo com cobertura vacinal próxima aos 74% de vacinados com duas doses no Estado, a tendência é que alguns casos mais graves ocorram, especialmente entre os não imunizados, que possuem probabilidade de evolução mais complexa da doença. Boletim atualizado - As novas vítimas registradas tinham entre 44 e 99 anos, e os óbitos ocorreram desde a última sexta-feira (22), mas foram incluídos apenas hoje. Cerca de 87% dos leitos adultos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ativados, no Estado, e dedicados à covid, estão ocupados - são 104 unidades e 90 pacientes confirmados ou suspeitos. Já entre as estruturas pediátricas, há cinco leitos e todos estão preenchidos. O Estado confirmou mais de 405,7 mil casos de covid-19, dos quais 379,5 mil foram classificados como recuperados. Atualmente, ao menos, 241 pacientes estão hospitalizados, 16,1 mil em isolamento, mas 9.808 morreram desde o início da pandemia. Entre as internações, maior parte (153) está em leitos clínicos e a outra parcela (88) em leitos de terapia intensiva. No documento, também foram confirmadas três novas mortes por influenza H3N2 - duas mulheres, de 65 e 82 anos, que moravam em Anastácio e Campo Grande, além de um homem, de 90 anos, que residia em Aquidauana.