Marquinhos Trad diz que entregará renúncia no dia 2 de abril para concorrer ao governo - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2022

Marquinhos Trad diz que entregará renúncia no dia 2 de abril para concorrer ao governo

Confirmado como pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul pelo presidente de seu partido, Gilberto Kassab, em outubro, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), disse que irá entregar renúncia no dia 2 de abril, para concorrer as eleições. "55 vezes eu disse que no dia 2 de abril eu apresento a minha renúncia", disse o prefeito, nesta terça-feira (1º), durante lançamento da vacinação nas escolas municipais. Apesar da afirmação, Marquinhos ainda suscitou dúvidas ao dizer que a candidatura só será decidida em abril. Eu já falei, uma, duas, três, eu já falei 55 vezes e saem fake news, então só vai se decidir mesmo no dia 2 de abril, na hora que eu apresentar minha renúncia", afirmou. O dia 2 de abril é a data limite para que o prefeito tome a decisão se irá concorrer ao cargo de governador nas eleições de 2022. Isto porque, para que seja candidato, o chefe do Executivo municipal é obrigado a abandonar o mandato. Neste cenário, quem assume a prefeitura é sua vice, Adriane Lopes (Patriota). Em dezembro do ano passado, sem afirmar se iria concorrer ou não, o prefeito disse que não é apegado ao cargo e não teria problema em abandoná-lo. Sobre a possibilidade de renunciar ao cargo de prefeito e ter uma possível derrota no pleito para o governo, Marquinhos disse que voltaria a advogar caso ficasse sem o cargo público. "Sou advogado, tenho meu diploma, sou professor, sempre vivi sem precisar de cargo público. Vou advogar, vou fazer o que sempre fiz", disse na época. Também no passado, quando pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisa Resultado (IPR) mostrou Marquinhos na liderança para assumir o Governo do Estado, com 27,29%, ele afirmou ver a vantagem como "vontade da população". No entanto, ao comentar sobre possíveis alianças políticas para as eleições, o prefeito disse que refutaria, por enquanto, de composições com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e os ex-governadores Zeca do PT e André Puccinelli, do MDB. O governador reagiu à fala e disse que na política, as alianças “a gente faz com quem gosta da gente”.