Aquário do Pantanal será aberto para visitação do público a partir de maio, diz Governo - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

terça-feira, 29 de março de 2022

Aquário do Pantanal será aberto para visitação do público a partir de maio, diz Governo

Após a inauguração do Aquário do Pantanal, agora nominado de Bioparque Pantanal, foi definida que a visitação do público geral será a partir de maio. A atração foi finalmente inaugurada nesta segunda-feira (28) depois de 11 anos. Conforme o Governo do Estado, a visitação será aberta ao público a partir do dia 1º de maio, um domingo. Vale lembrar que até o fim do ano as visitas serão gratuitas e quem se interessar em visitar o aquário deverá se cadastrar em plataforma para garantir ingresso. “Está sendo elaborada uma plataforma por onde a população poderá se cadastrar para visitar o Bioparque. Serão visitas guiadas, segmentadas. A visita será feita com um guia-chefe e dez condutores, as pessoas vão se cadastrar e será emitido um voucher com dia e horário da visita”, afirmou a diretora do Bioparque Pantanal, Maria Fernanda Balestieri. O aquário terá a capacidade diária de receber 300 pessoas, sendo 150 pela manhã e 150 à tarde. Os valores dos ingressos que serão cobrados a partir de 2023 ainda não foram definidos. Atrações e visitação A grande cápsula nos altos da avenida Afonso Pena agora é uma realidade. Após 11 anos, o antes Aquário do Pantanal agora é o Bioparque Pantanal, em Campo Grande: um local que abriga ciência, tecnologia, conhecimento e uma viagem no tempo. Com cerca de 220 espécies de peixes, o maior aquário de água doce do mundo ainda conta com diversidade de répteis e até fósseis da “Era do Gelo”. Acompanhamos a primeira visita técnica ao local, nesse domingo (27), e relata, com detalhes, como é o passeio pelo Aquário. Da longa caminhada ao estacionar o carro e chegar até as portas de vidro, já é possível ver a grandiosidade da obra. Do lado esquerdo, um balcão de informações recebe os visitantes. Ao lado direito, um imponente aquário se conecta ao piso de mármore e faz as vezes de uma parede, escondendo um auditório atrás que deve receber gente de todo canto do mundo. Ao meio, duas escadas rolantes e uma escada comum, que dão acesso a ambientes com laboratórios de robótica, ciência e tecnologia, aquários que passam sobre a cabeça, salas pedagógicas, ambientes que abrigam artesanato e até a Nossa Senhora do Pantanal, que é genuinamente sul-mato-grossense. Para os estudantes, uma biblioteca virtual, inúmeros computadores e também mascotes de animais típicos do nosso Estado, que tornam a experiência lúdica e inesquecível. “O Bioparque está praticamente todo concluído, agora na fase final de montagem. A partir do próximo mês, em um escalonamento, nós vamos fazer todo um fluxo de visitação. Terá um site específico que vai coordenar estudantes, pessoas que queiram conhecer, trade turístico e, até o final do ano, o governo de Mato Grosso do Sul, aliado às secretarias, vai fazer a gestão desse aquário”, afirmou o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). Além do turismo O Bioparque Pantanal oferece um novo conceito que une educação, pesquisa e conservação, promovendo projetos de pesquisa e conservação de espécies, valorizando o bem-estar dos animais e orientando seus visitantes pela educação ambiental. O museu, os laboratórios de educação ambiental e pesquisa científica e o centro de convenções proporcionam um conjunto de atividades e experiências, de maneira inovadora, dinâmica e viva. Custos Com aproximadamente 19 mil m² de área construída, o Aquário do Pantanal conta com 33 tanques, sendo 23 internos e oito externos, além de um tanque de abastecimento e outro de descarte de efluentes, totalizando um volume de cinco milhões de litros de água, nas dependências do Parque das Nações Indígenas. Iniciada em 2011, a obra seria concluída no governo anterior, já que os peixes começaram a chegar no final do ano de 2014. No entanto, com problemas de licitação, auditorias, engenharia e complexidade da obra, ocorreram diversas paralisações. Orçado em R$ 89 milhões, o aquário teve inúmeros aditivos e terminou, com o custo final, de R$ 230 milhões, de acordo com o governo do Estado.