Com baixa rejeição, MDB não desiste de Tereza Cristina para compor chapa majoritária - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

sexta-feira, 15 de abril de 2022

Com baixa rejeição, MDB não desiste de Tereza Cristina para compor chapa majoritária

Com o objetivo de fortalecer a pré-candidatura do ex-governador André Puccinelli, líderes do MDB Estadual estão empenhados em trazer a ex-ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina (PP) para compor com o grupo. De acordo com recente pesquisa do Instituto Ranking Brasil, divulgada no último dia 10 de abril, Tereza Cristina e o ex-prefeito de Costa Rica – MS, empresário Waldeli dos Santos Rosa (MDB), estão entre os pré-candidatos ao Senado Federal, menos rejeitados pelos eleitores sul-mato-grossenses. Waldeli tem apenas 3,90% de rejeição na pesquisa, seguido pela ex-ministra da Agricultura e Pecuária, Tereza Cristina (PP), com 4,50%. Na mídia Estadual, Waldeli vem sendo frequentemente apontado como uma das maiores lideranças do MDB em Mato Grosso do Sul, sendo forte candidato do partido a compor na majoritária, seja como pré-candidato a vice-governador de André Puccinelli, suplente de senador, ou até mesmo disputando a vaga, caso Tereza Cristina não venha a compor com o grupo. Para Waldeli só o fato de ser lembrado nas pesquisas ao longo dos últimos anos já é uma grande conquista. "Ter o menor índice de rejeição entre os possíveis candidatos a disputar o Senado Federal da mais uma injeção de ânimo em mim e no nosso grupo para tralharmos todas as possibilidades", comemorou o Emedebista. Cenário A pesquisa Ranking aponta que a menos de seis meses das Eleições, 43,3% dos eleitores sul-mato-grossenses ainda não têm candidato a senador. A ex-ministra lidera as intenções de votos na Estimulada com 38,40%. O ex-juiz Odilon vem na sequência com 10% e o ex-prefeito de Costa Rica Waldeli com 6,40%. A advogada Giselle Marques do PT aparece com 2,10%. Já na espontânea, a deputada Federal Rose Modesto (União Brasil) tem 12,30%, Tereza Cristina aparece com 10,50%. O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (União Brasil), ficou e terceiro com 8,10%. Odilon obteve 3,50%, seguido por Waldeli com 1,80%. Dados da pesquisa Foram entrevistados três mil eleitores acima de 16 anos em 30 municípios do Estado entre os dias 05 e 09 de abril de 2022. O levantamento tem os registros no TSE – Tribunal Superior Eleitoral - com os números: MS-09921/2022 e BR-04569/2022. Para um intervalo de confiança de 95% e um tamanho de amostra de três mil entrevistas, a margem de erro máxima estimada foi de 1.8 pontos percentuais, para mais ou para menos. O Instituto Ranking Brasil é registrado no Conre 1 com o número: 8561. Mais informações sobre a pesquisa acesse o site www.rankingpesquisa.com.br.