Redução de ICMS ainda não reflete no preço da gasolina e etanol em postos de Campo Grande - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Redução de ICMS ainda não reflete no preço da gasolina e etanol em postos de Campo Grande

 A redução do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre etanol e gasolina em Mato Grosso do Sul, que começou a valer nesta quarta-feira (7) ainda não surtiu efeito nos preços dos postos de combustíveis em Campo Grande.

Nas primeiras horas da manhã, nenhum dos cinco postos visitados pelo Midiamax reduziu o preço de ontem para hoje. No posto na esquina das ruas Maracaju com a Calógeras, que oferecia a gasolina a R$ 5,95, o valor continua. Segundo um dos frentistas, eles aguardam ordens para trocar o preço.

No posto da Afonso Pena com a Rua 13 de Maio o valor da gasolina também continua e mesmo, R$ 5,99. Segundo o frentista deste posto, já houve várias baixas durante a semana, mas sobre essa específica do  estadual não há previsão.

Outros três postos, na Afonso Pena, Avenida Júlio de Castilho, Rua Marechal Deodoro também não apresentaram redução de um dia para o outro.

Mas essa não redução imediata do ICMS estadual na bomba parece não ser um problema para os consumidores, justamente porque houve diminuições constantes nos últimos dias devido a baixa de impostos federais e do congelamento do PMPF (Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final) no Estado.Para Vilson de Oliveira, motorista de aplicativo de 59 anos, diante do cenário anterior, agora ele está satisfeito, mesmo que o repasse do ICMS estadual ainda tenha sido efetivado. "Essas reduções são maravilhosas".

Claudemir Oliveira de Jesus, de 60 anos, gasta de R$ 100 a R$ 300 por semana de combustível. O mais incrível é que as oscilações de preço têm sido tão constantes, que ele se programa conforme elas acontecem. "Quando tem redução eu abasteço mais e quando tem aumento, meno".

Decreto determina preço de combustíveis antes e depois de redução do ICMS nos postos

O governo federal publicou nesta quinta-feira (7) um decreto que determina que os postos deverão informar aos consumidores os preços dos combustíveis automotivos “de forma correta, clara, precisa, ostensiva e legível”. A medida visa possibilitar que os consumidores realizem a comparação dos preços praticados no momento da compra.

“O atual contexto do mercado brasileiro de combustíveis demanda medida de transparência adicional, visando fortalecer a garantia do direito básico do consumidor de receber a informação adequada e clara de tributos incidentes e preços nos postos revendedores”, afirmou o Ministério de Minas e Energia, em nota.

Segundo o Sinpetro (Sindicato do  Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS) quem vai fiscalizar será ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), os postos devem cumprir as determinações, mas aguardam detalhes para se adequarem.