Sonora/MS recebe nota A nos três indicadores da Capag e desponta como um dos municípios mais bem administrados de Mato Grosso do Sul - CANAL MS

LEIA TAMBÉM

Campo Grande (MS),

Post Top Ad

segunda-feira, 11 de julho de 2022

Sonora/MS recebe nota A nos três indicadores da Capag e desponta como um dos municípios mais bem administrados de Mato Grosso do Sul

 O município está tão bem na praça que tem crédito para contratar empréstimos nacionais e até mesmo internacionais, com aval da União


O município de Sonora/MS, na região norte de Mato Grosso do Sul, mais uma vez desponta como destaque na Administração Municipal. A cidade do Balneário Pôr do Sol recebeu nota A em todos os indicadores no Capacidade de Pagamento (CAPAG), do Tesouro Transparente.


Sonora tem o melhor desempenho com os três itens regulares. Além de nota “A” em capacidade de pagamento, compromete somente 73,25% das receitas e gasta 35,29% com pessoal.


Enquanto a cidade tem reserva de caixa (poupança) de 26,75% das receitas para investir, percentual bem acima da exigência do Tesouro, de pelo menos 5% de sobra, a Capital Campo Grande sobrevive com 2,25%, menos da metade do mínimo exigido.


O limite com funcionalismo também está controlado na pequena, mas responsável Sonora, ao mesmo tempo em que a cidade pode contratar empréstimos nacionais e internacionais com aval da União, por exemplo.


“A conquista se dá pelo compromisso fiscal, transparência e assertividade da Administração com as contas públicas”, afirma Enelto Ramos da Silva, prefeito de Sonora/MS. 


Fazendo uma rápida analogia, a Capag é como o SPC dos municípios e estados. A análise da capacidade de pagamento apura a situação fiscal dos municípios e estados que querem contrair novos empréstimos com garantia da União. O intuito da Capag é apresentar de forma simples e transparente se um novo endividamento representa risco de crédito para o Tesouro Nacional. 


A metodologia do cálculo é composta por três indicadores: endividamento, poupança corrente e índice de liquidez. Logo, avaliando o grau de solvência, a relação entre receitas e despesas correntes e a situação de caixa, faz-se diagnóstico da saúde fiscal do Estado ou Município. 


A atual gestão sempre priorizou o pagamento das contas em dia e a transparência com o dinheiro público. “Estamos no azul, com a casa em dia em ordem e isso é o resultado do trabalho da nossa Gerência de Administração e Finanças, dirigida pela Lucilene de Souza Leite e todos os demais colaboradores que trabalham diariamente com responsabilidade e compromisso pelo nosso município”, pontuou o gestor.